VOLTAR

Resposta da Funasa sobre denúncias de morte de duas crianças do povo Pirahã
(Amazonas)

Home page Amazonia/Cimi
24 de jan de 2007

Sobre denúncias feitas pelo coordenador-geral da Organização dos Povos Indígenas Tora,
Tenharim, Mura e Parintintin (Opittamp), Elton Rodrigues Paes, e publicadas pelo site do
Conselho Indigenista Missionário (Cimi), no último dia 18, a Fundação Nacional de Saúde
(Funasa) esclarece que:

1. No começo deste mês, enviou para o município de Manicoré, região do Rio Maici, mais uma
equipe de saúde, formada por um enfermeiro, três técnicos de enfermagem e dois técnicos
laboratoriais a fim de diagnosticar o quadro da região e reforçar o atendimento por 20 dias. A
saída da equipe será feita apenas com a chegada de outra ao local;

2. Agora, o município de Manicoré tem três equipes de saúde atendendo simultaneamente em
diferentes localidades (Bora do Javari, Ponta Natal e rio Maici);

3. Ainda no começo do mês, a Funasa enviou para a região medicamentos e alimentos para
atender as comunidades. Além disso, mandou um motor para lancha de ferro e enviará outro
nos próximos dias. A medida vai aumentar a eficácia no transporte de equipes de saúde e
indígenas;

4. É importante lembrar que a mais recente remessa de medicamentos para a farmácia básica
dos indígenas Guajajara foi entregue no dia 27 de outubro e não há, portanto, falta de
medicamentos no momento;

5. Em relação ao convênio com a Coaib (Coordenação das Organizações Indígenas da
Amazônia Brasileira), a Funasa informa que o mesmo não foi renovado por não ter atendido
satisfatoriamente à parceria. Entretanto, novo convênio já foi firmado com a organização
Saúde Sem Fronteira e os problemas da parceria anterior já estão sendo sanados.

Atenciosamente,
Assessoria de Imprensa Fundação Nacional de Saúde (Funasa) Tel: (61) 3314
6440/6446/6439
Fax: (61) 3314-6630
E-mail: nimp@funasa.gov.br
Portal: www.funasa.gov.br
Fonte: Conselho Indigenista Missionário

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.