VOLTAR

Resgate de animais silvestres no Amazonas tem crescimento de 92% em nove meses, diz Polícia

Toda Hora - https://todahora.com.br/
Autor: REDAÇÃO TODA HORA
17 de ago de 2019

Resgate de animais silvestres no Amazonas tem crescimento de 92% em nove meses, diz Polícia

Aves foram as espécies mais resgatadas, seguidas dos répteis e dos mamíferos

O Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAMB), da Polícia Militar, resgatou 340 animais silvestres no perímetro urbano de Manaus entre os meses de janeiro e setembro de 2019. O número representa um aumento de 92% na comparação com igual período do ano passado. As aves, com 144 casos, foram as espécies mais resgatadas, seguidas dos répteis, com 123, e dos mamíferos, somando 73 bichos.

Jacarés, tracajás, curiós, jiboias e preguiças foram os bichos mais apreendidos entre janeiro e agosto, conforme dados do Batalhão. O aumento de casos é uma consequência da redução de habitat, que impõe aos animais migrações para áreas urbanas em busca de alimentos.

"O trabalho em prol desses resgates é importante, pois esclarecemos ao público que caçar ou apanhar qualquer animal silvestre configura crime ambiental, sujeitando seus autores às penalidades da lei", enfatizou o comandante do Comando de Policiamento Ambiental (CPAMB), Castro Silva.

A maioria dos animais é pega em via pública ou em residências. "As pessoas geralmente informam à Polícia Ambiental que o animal veio de uma área verde, ou algum parente avistou o animal e levou para casa. Ainda há casos de animais, como aves, que caem no quintal e são apanhados para cuidados veterinários", disse.

A entrega voluntária dos animais pode ser feita sem que haja penalidades. "O cidadão que, por algum motivo, esteja em posse desses animais e desejar fazer a entrega voluntária aos órgãos de proteção ambiental está isento das penalidades criminais e administrativas", explicou o comandante.

https://todahora.com.br/articulos/resgate-de-animais-silvestres-no-amaz…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.