VOLTAR

Reflorestar e receber

CB, Brasil, p. 11
04 de mar de 2009

Reflorestar e receber

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, defendeu ontem a implantação de um programa de pagamentos por serviços ambientais na Amazônia, durante lançamento de um estudo feito por técnicos da pasta, em parceria com outros pesquisadores, sobre o assunto. A ideia é remunerar proprietários rurais pela recuperação de florestas, matas ciliares e rios. "Já temos algumas experiências pequenas no Brasil, como uma no Rio de Janeiro, que têm dado resultados positivos. Por que não ampliar o projeto? Se a natureza é tão importante para a sociedade, vamos pagar para que ela seja recuperada. Dessa forma, mostrando que conservar dá dinheiro, mudaremos a mentalidade das pessoas", defendeu Minc.

A previsão traçada no estudo divulgado ontem é de que um programa de pagamentos por serviços ambientais poderia reduzir em 8,3 milhões de hectares, numa projeção modesta, ou até 13 milhões de hectares, nos cálculos mais otimistas, a área de desmatamento na Amazônia até 2016. Para tanto, o custo total do projeto variaria entre R$ 18 bilhões e R$ 36 bilhões, de acordo com algumas variáveis, tais como preço uniforme por hectare reflorestado, entre outras questões.

Minc afirmou que as fontes de recursos para o programa são variadas. "Uma seria o Fundo Amazônia, a outra pode ser o fundo de recursos hídricos. Pode ser também um dinheiro reservado em orçamento, caso o Congresso vote um projeto já tramita sobre os pagamentos por serviços ambientais", explica o ministro.

CB, 14/03/2009, Brasil, p. 11

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.