VOLTAR

R$ 8 milhões para financiar projetos ambientais no vale dos rios Amazonas/Solimões

Viaecológica-Brasília-DF
23 de abr de 2003

O Ministério do Meio Ambiente anunciou que dispõe de R$ 8 milhões para financiar projetos ambientais de até R$ 300 mil cada, na calha dos rios Amazonas/Solimões. As propostas deverão atender o Projeto Manejo dos Recursos Naturais da Várzea (ProVárzea), executado pelo Ibama com recursos do Programa Piloto para Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente. O edital de convocação para receber propostas de apoio financeiro no âmbito do Componente Iniciativas Promissoras está disponível no site do Ibama/Provárzeas. São R$ 8 milhões, com financiar projetos de ate R$ 300 mil. Podem apresentar projetos as organizações governamentais ou não governamentais (ongs) que estiverem dentro da área de abrangência do ProVárzea, na calha dos rios Amazonas/Solimões, excluindo o estuário. De acordo com o edital, terão prioridade as propostas de apoio às prefeituras para projetos em parceria com instituições de sociedade civil (ONGs, Universidades, Organizações de Base, etc.); apoio ao setor privado com ênfase nas empresas de pequeno porte e cooperativos; agricultura e pecuária sustentável, sistemas agroflorestais, recuperação de áreas alteradas da várzea, melhoria de renda familiar/comunitária e plantas medicinais. A gestão dos recursos do PPG7 tem motivado debates dentro do governo e com os ambientalistas, devido à polêmica proposta da oscip Organização Floresta - retirada para exame da última reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) -de gerir os recursos da fase II do PPG7, de 2006 até 2010. (Para obter o edital e informações detalhadas veja www.ibama.gov.br/provarzea)

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.