VOLTAR

#PSDBSecouSP: mapeamento sobre a crise da água e Aliança pela Água

Muda Mais - mudamais.com
30 de out de 2014

#PSDBSecouSP: mapeamento sobre a crise da água e Aliança pela Água

A crise de abastecimento de água em São Paulo está cada vez mais grave e tomando proporções preocupantes. Para combater esse quadro, resultante da falta de planejamento do PSDB à frente do governo do estado de São Paulo, cerca de 280 especialistas de recursos hídricos, direito ambiental e gestão de cidades realizaram um mapeamento sobre a crise de água no estado (link is external).

O mapa traz informações importantes sobre a situação atual da crise de água e tem como objetivo fazer cobranças do governo e trazer propostas à população. Para os especialistas, um dos diagnósticos está o problema da gestão de água pelas autoridades de São Paulo e falta de transparência das informações dos recursos hídricos.

A partir do mapeamento, surgiu a criação da Aliança pela Água de São Paulo, formalizada nesta quarta-feira (29), com mais de 20 organizações não governamentais que trabalham em defesa do meio ambiente. Os especialistas já falam, inclusive, em "crise anunciada", pois o "modelo de gestão de recursos hídricos de São Paulo é a mesma que está sendo feita em outras metrópoles", diz Glauco Kimura, coordenador do programa Água para a Vida (link is external).

As multas para quem desperdiça água e o racionamento de água também foram discutidos durante a criação da Aliança e dividem os especialistas. Há correntes que defendem as multas como maneira de evitar o desperdício de água. Por outro lado, outros especialistas acreditam que a punição não é o melhor caminho, já que a crise de água já está em situação alarmante, e medidas como essas deveriam ter sido tomadas muito antes.

Muda Mais, 30/10/2014

http://mudamais.com/node/5099

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.