VOLTAR

Projeto visa conscientizar o povo indígena sobre o uso abusivo do álcool

DIÁRIO DA SERRA
12 de fev de 2008

A Associação Halitinã de Tangará da Serra está com um projeto de Promoção de Saúde e prevenção ao uso abusivo de Bebidas Alcoólicas na Sociedade Paresi. O projeto que terá inicio ainda este mês, faz convênio com VIGISUS/FUNASA e a Funai de Tangará da Serra, e pretende prevenir e alertar a população indígena sobre os malefícios do álcool, tendo em vista que, este já é um problema que o povo das aldeias do Paresi vem enfrentando.

"O consumo de álcool entre o povo indígena vem aumentando conforme cresce o deslocamento dessas comunidades às cidades. Observamos que os que quem mais tem consumido esse tipo de bebida são os jovens, que ficam em sua maioria com tempo ocioso. Com isso, estes jovens se distanciam do seu lar, família, comunidade, cultura, ficando vulneráveis a vícios e colocando em riscos suas próprias vidas", explica o Assessor de Projetos Interinstitucionais do Halitinã, Luís Alberto Pereira.

O Projeto poderá continuar até fevereiro de 2009 e tem o intuito também, de através das palestras que serão realizadas nas aldeias, criar DVDs e Cartilhas informativas para serem utilizadas nas escolas indígenas. "Pretendemos ao longo das palestras e dos trabalhos que serão realizados nas 50 aldeias do território Paresi, criar um material de prevenção com DVD, cartilhas e informativos, servindo como material de apoio aos professores", frisa Luís Alberto.

De acordo com Luís Alberto, para esse trabalho preventivo através de palestras, é necessário o acompanhamento de um Técnico Indígena. "O Técnico Indígena também irá nos acompanhar, pois, as aldeias falam a ´Língua Paresi´, e muitos não entendem o Português. Os materiais de apoio também serão disponibilizados nas duas línguas", complementa o assessor. Contudo, Luís Alberto pretende diagnosticar o problema que vem assombrando os povos indígenas, se é cultural ou se é fragmentos de uma cultura que foi modificada através da ´Cultura do Branco´.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.