VOLTAR

Projeto proporciona Férias Ecológicas

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
Autor: ICMBio
24 de jan de 2019

Projeto proporciona Férias Ecológicas
24 de Janeiro de 2019, 15h09

Teatro, música, yoga, surf, observação de golfinhos e de aves, saída de barco, rodas de conversa são algumas das atividades desenvolvidas.

O Projeto Golfinho Rotador, em parceria com o Núcleo de Gestão Integrado do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade de Fernando de Noronha (ICMBio/Noronha) e com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, desenvolve anualmente um programa de Educação Ambiental para as crianças da ilha durante o período de férias escolares, o "Férias Ecológicas".

Este ano com o tema "tacombinado", as Férias Ecológicas têm como principal objetivo contribuir com o aprendizado vivencial dos participantes, estimulando a importância de se fazer acordos com o ambiente natural e entre as pessoas. Esses acordos, na opinião dos organizadores, fortalecem relações de respeito, confiança e a sustentabilidade. A oferta das atividades de monitoria para jovens a partir de 14 anos tem como objetivo exercitar a responsabilidade. Os pais também podem participar das atividades, para tornar mais efetivo ainda o processo educacional das crianças.

Crianças de 5 a 13 anos tiveram programação de férias garantida em Fernando de Noronha durante o mês de janeiro, de segunda a sexta, das 9h às 12h, e sábado à tarde. E, a partir de 14 anos, os jovens puderam ser monitores das Férias Ecológicas.

As atividades recreativas e educativas foram gratuitas e divididas por faixa etária. Foi dada preferência a moradores da ilha, mas, as vagas que sobraram foram destinadas a parentes de moradores em visita a Noronha. Na semana de 7 a 12 de janeiro foi para crianças de 5 a 7 anos; de 14 a 19 de janeiro, para as crianças de 8 a 10 anos; e de 21 a 26 de janeiro, está sendo para jovens de 11 a 13 anos. O número de inscritos para a primeira turma foi de 22 crianças, para a segunda foram 31 crianças e, na nesta última turma, estão sendo 26 jovens. Dez jovens participaram como monitores, totalizando 89 crianças e jovens de 5 a 19 anos.

O programa "Férias Ecológicas", já é tradição em Fernando de Noronha e foi criado em 1990 pelos então Chefe do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, Heleno Armando da Silva, e o Chefe de Fiscalização, Josivan Rabelo, para oferecer opção de lazer e ampliar a percepção sobre a conservação ambiental dos jovens moradores da ilha no período das férias escolares.

O programa também possui um grande alcance social, pois cria oportunidades de diversão e aprendizado para crianças e adolescentes noronhenses e impede que estes estejam entregues ao ócio em pleno verão, quando o turismo atinge seu ápice e a grande quantidade de turistas inevitavelmente implica na entrada de diversas realidades e mentalidades para o convívio com a comunidade. É durante este período que os pais estão mais atarefados e, consequentemente menos presentes dentro da estrutura familiar, uma vez que o turismo representa a principal atividade socioeconômica da ilha.

Algumas das atividades oferecidas: teatro, música, yoga, surf, observação de golfinhos e de aves, saída de barco, rodas de conversa com instituições públicas presentes na ilha como ICMBio, Aeronáutica, Bombeiros, Polícia Militar e Federal, trilhas e outras surpresas. Os organizadores disponibilizam transporte aos participantes.

A tradicional festa de encerramento das Férias Ecológicas ocorrerá no dia 3 de Fevereiro de 2019 no Forte Nossa Senhora dos Remédios, a partir das 16h. Toda a comunidade e visitantes do Arquipélago estão convidados a participar dessa grande festa em homenagem à Educação e Preservação Ambientais. Os jovens apresentarão seus acordos construídos em conjunto do "tacombinado", música em homenagem à natureza, teatro e outras atividades interativas com o público.

http://icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10192-projeto-pro…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.