VOLTAR

PR abrigará Conferência Mundial de Biodiversidade

GM, Nacional, p. A5
26 de out de 2005

PR abrigará Conferência Mundial de Biodiversidade

Norberto Staviski

Em março de 2006, o Paraná vai sediar a 8a. Reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8) e a 3ª. Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena (MOP3), segundo termo de cooperação assinado entre a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o embaixador Antônio de Aguiar Patriota, do Ministério das Relações Exteriores, e o governador paranaense, Roberto Requião.
O ministério do Meio Ambiente deverá investir aproximadamente R$ 5,5 milhões na Conferência, que prevê receber 45 ministros de meio ambiente e um público estimado entre 12 mil a 15 mil pessoas.
Segundo a ministra Marina Silva, "o evento é uma oportunidade de mostrar para o mundo inteiro quais são as responsabilidades que o Brasil e o Paraná têm assumido para reduzir as perdas de biodiversidade".
Estas conferências ocorrem a cada dois anos em alguma parte do mundo, alternando continentes, e derivam da Convenção da Biodiversidade, da qual participam 188 países. A Convenção sobre Diversidade Biológica é resultado da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento realizada em 1992. Trata-se do principal fórum mundial na definição do marco legal e político para temas e questões relacionadas à biodiversidade. O MOP3, por sua vez, trata exclusivamente do Protocolo de Cartagena e assuntos relacionados a produtos transgênicos.
"A discussão fundamental se dará em torno do regime internacional de acesso, no momento em que os países signatários da Convenção da Biodiversidade estão estabelecendo as leis de acesso aos seus recursos genéticos e debatendo como isso acontecerá nos países desenvolvidos", disse a ministra. Segundo Marina, o país em desenvolvimento têm conhecimentos tradicionais e recursos naturais. Já os países desenvolvidos tem conhecimento técnico específico e dinheiro para investir na área de pesquisa.
Outro ponto forte do encontro será a participação de países que assinaram a Convenção sobre Diversidade Biológica mas não ratificaram sua participação, como os EUA e alguns integrantes da União Européia.

GM, 26/10/2005, Naciona, p. A5

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.