VOLTAR

Políca Federal Investiga Atentado Contra Cacique Potiguara, na Paraíba

Cimi - http://www.cimi.org.br/
26 de mar de 2009

A Polícia Federal (PF) está investigando o atentado contra o cacique Aníbal do povo Potiguara. No dia 22 de março, à noite, ele foi baleado dentro de casa, na aldeia Jaraguá, município de Rio Tinto, Paraíba. O cacique está hospitalizado e, apesar de ter duas balas alojadas no corpo (cabeça e pulmão), passa bem e apresenta quadro estável.

Dia 25, as primeiras testemunhas prestaram depoimento à Polícia Federal. Segundo Rita de Cássia, esposa de Aníbal, na noite do crime, dois homens encapuzados derrubaram a porta da casa da família, apagaram as luzes e dispararam vários tiros em Aníbal, que assistia televisão. Ele foi imediatamente levado para um hospital em João Pessoa, capital do estado.

A PF foi ao local do crime na noite seguinte ao atentado, após os Potiguara terem bloqueado a BR-101, exigindo rapidez nas investigações.

Aníbal, 43 anos, foi reeleito cacique da aldeia Jaraguá em fevereiro deste ano e vinha recebendo ameaças de morte. Aníbal, o cacique Bel (aldeia Três Rios) e a cacica Cau (aldeia Monte Mor) estão organizando seu povo para a retomada do território tradicional Potiguara, invadido por plantio de cana de açúcar. Bel e Cau também têm recebido ameaças de morte.

A situação na aldeia Jaraguá está muito tensa, por isso lideranças Potiguara estão atuando, junto à Polícia Federal, para evitar conflitos na área.

Rita de Cássia vive assustada. "Desde domingo que não como nem durmo". Ela e Aníbal têm dois filhos: Iratam, de um ano, e Ibiratam, de quatro anos. Cássia afirma que nas últimas noites Ibiratam acorda sobressaltado gritando: "Mãe, aqueles homens vem matar a gente também".

http://www.cimi.org.br/?system=news&action=read&id=3748&eid=274

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.