VOLTAR

PF encontra cartaz de carnaval e até bingo de revólver em 'minicidade' de garimpo na Terra Yanomami

G1 - https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia
25 de mar de 2021

PF encontra cartaz de carnaval e até bingo de revólver em 'minicidade' de garimpo na Terra Yanomami
Prostituição é a segunda maior atividade na região, atrás somente do garimpo, diz delegado regional. Invasores tinham acesso a wi-fi, consultório odontológico, boates, bingos e restaurantes dentro do território indígena. Carnaval cancelado no estado em razão da pandemia, foi mantido pelos garimpeiros.

Por Fabrício Araújo, G1 RR - Boa Vista
24/03/2021

A Polícia Federal desmontou uma "minicidade" ocupada por garimpeiros dentro da Terra Yanomami, o maior território indígena brasileiro. O delegado, Adolpho Hugo de Albuquerque Pereira, disse nesta quarta-feira (24) que havia boates, bingos, wi-fi e uma estrutura, com cerca de 2 mil invasores, que se assemelhava a "algo democrático".

Quatro áreas dentro da Terra Yanomami foram alvos da fiscalização. No entanto, ninguém foi preso. O delegado afirmou que os invasores se assustaram com a chegada do helicóptero, cedido pelo Força Aérea, e se esconderam na mata.

"Não foi possível individualizar as condutas e configurar o flagrante em delito. Por este motivo, não fizemos as prisões. Porém, as investigações seguem com os materiais aprendidos para que tenhamos resultados o mais rápido possível", disse o delegado Adolpho Hugo de Albuquerque Pereira.

Foram aprendidos GPS, celulares e aparelhos de internet via satélite utilizados pelos suspeitos, além de ouro, armas, munições, drogas e mercúrio. No entanto não foi informada a quantidade total das apreensões e nem os tipos de drogas e armas. Motores e aeronaves dos garimpeiros foram destruídas.

As incursões foram feitas nas regiões conhecidas como Couto de Magalhães, Parima, Catrimani e no Rio Uraricuera. Cinco amostras de água de diferentes partes dos rios foram coletadas pela PF e devem ser analisadas pela perícia.

"Estes são os pontos principais, mas não descartamos a presença de garimpeiros em outras regiões com a capacidade e extensão semelhante, ou até maior", afirmou.

Comércio ilegal
Uma área conhecida como "Fofoca do Cavalo", no rio Uraricoera, contava com restaurantes e até um consultório odontológico. Os agentes descobriram a estrutura com a ajuda de imagens do satélite Planet, tecnologia da PF que monitora áreas devastadas por crimes ambientais. A "Operação Ianomâmi 709" foi realizada entre os dias 5 e 14 deste mês.

"Pode-se considerar uma minicidade, obviamente, sem uma estrutura política, governamental e organizacional. Mas, havia algo democrático entre eles, que acabaram construindo", explicou o delegado.
Fotos e vídeos feitos durante a operação mostram restaurantes e lanchonetes na região. No entanto, segundo Albuquerque Pereira, a prostituição é a segunda atividade mais exercida na região, ficando atrás somente do garimpo.

"É uma atividade muito comum e acredito que é a principal depois do garimpo, é a prostituição. Onde há garimpo, há prostituição, sem sombras de dúvidas", disse.
Bingo de armas, boate e carnaval

A PF também encontrou cartazes na "mini cidade", que divulgavam formas de entreter os garimpeiros. Além da divulgação de serviços, como wi-fi e lanches.

Um deles indicava que os garimpeiros fizeram uma festa de carnaval em meio à floresta Amazônica diante da pandemia de coronavírus. A festa teve a presença de um DJ e até patrocínio de uma lan house que funciona na região.

Segundo o delegado, nesta excursão não foram vistos artistas de relevância regional ou nacional. No fim do ano passado, o cantor Wanderley Andrade fez um show em um garimpo ilegal em Roraima, divulgou vídeos em uma rede social e disse que voltaria quantas vezes fosse chamado.

Outro cartaz mostra que um bingo estava marcado para 7 de março. Os prêmios eram dois revólveres e dois litros de whisky para os três primeiros ganhadores. As armas não foram encontradas pela Polícia Federal.

Embora nenhum suspeito tenha sido preso em flagrante, as investigações com os objetos apreendidos continuam e os invasores podem ser enquadrados por crimes ambientais, usurpação de patrimônio da União por causa do ouro e todos os materiais que estão no subsolo, além de porte ilegal de arma.

https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2021/03/24/pf-encontra-cartaz-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.