VOLTAR

Petrobras tenta reduzir preço do gás da Bolívia

Midianews-Campo Grande-MS
Autor: France Presse
16 de out de 2002

O presidente da Petrobras, Francisco Gros, tratará com o presidente boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada dos termos do contrato de compra e venda de gás boliviano pelo Brasil, durante uma reunião prevista esta quarta-feira, em La Paz.

Gros e Sánchez de Lozada conversarão sobre o preço do milhão de metros cúbicos (MMC) de gás natural, estabelecido em US$ 1,3, que rege as exportações bolivianas em crescente volume desde 1999 pelo gasoduto Bolívia-Brasil.

O volume de exportação diário para o Brasil, que há três anos era de 5 MMC de gás diários, oscila atualmente entre 12 e 15 MMC.

O presidente boliviano e Gros também tratarão da possibilidade de rever um compromisso de importação de até 30 MMC por dia firmado pela Petrobras depois da crise energética que o Brasil sofreu há 18 meses.

"No ano passado achamos que poderíamos chegar aos 30 MMC em 2003, mas choveu muito (no Brasil) e a geração de energia termoelétrica diminuiu. Agora está se gerando hidroeletricidade´, explicou à imprensa local o presidente da Petrobras-Bolívia, braço internacional da Petrobras, Decio Oddone

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.