VOLTAR

Petrobras aprova registro de mitos dos sakurabiat

O Liberal-Belém-PA
19 de mai de 2004

Mais um projeto de registro da cultura indígena foi aprovado pelo Programa Petrobras Cultural. Além de "Documentação, Descrição e Preservação de Línguas Indígenas Amazônicas", realizado por professores vinculados à Universidade Federal do Pará e que resultará em dicionários e publicações de coletâneas de textos, foi contemplado pelo programa também "Narrativas Mitológicas do Povo Indígena", que resultará em um livro específico sobre os mitos da tribo sakurabiat, organizado pela pesquisadora Ana Vilacy Galucio, pesquisadora do Museu Emílio Goeldi na área de lingüística. Outra boa notícia é que a Petrobras ainda convidou o Museu para fazer uma conferência sobre saberes tradicionais e biodiversidade.

Ana explica que há anos vem trabalhando com a documentação de várias línguas indígenas, principalmente quanto a aspectos específicos da lingüística e sua relação com a cultura. Desde 1994 ela está envolvida com os sakurabiat, grupo tupi que vive na área indígena Rio Mequéns, em Rondônia, ajudando inclusive no processo de alfabetização na própria língua indígena. "Esse é um dos vários grupos em perigo de extinção. Das 70 pessoas que compõem a comunidade, apenas 23 ainda falam a língua, o que é um perigo extremo". Por isso a intenção é que os livros sejam levados prioritariamente para a própria comunidade.

Ela diz que o livro irá relatar os mitos, hoje recontados apenas pelos anciãos. A obra será bilíngüe, com o texto transcrito na língua original e depois traduzido para o português. "Quando ouvimos essas histórias, há uma tradução livre imediata, e é essa tradução que vai para o livro. Não temos preocupação com a forma, só com o conteúdo", avisa. Crianças da tribo fizeram as ilustrações do livro, e será feito também um CD-Rom com a narrativa original na língua indígena. O projeto está orçado em R$ 95 mil.

Os mitos dos sakurabiat são bastante simples, segundo Ana. "Alguns trazem ensinamentos sobre relações sociais, coisas do cotidiano, criação do mundo e da natureza, e existem aqueles que só têm por função divertir mesmo, com muito humor".

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.