VOLTAR

Pelc Indígena resgata identidade de povo Wai-wai, no Pará

Ministério dos Esportes - http://www.esporte.gov.br/
Autor: Carla Belizária
31 de mar de 2011

Integrantes da tribo Wai-wai, povo que habita uma das regiões mais isoladas do Pará, vão participar das ações do Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc) Indígena, do Ministério do Esporte. Atividades esportivas como futebol, natação, atletismo e canoagem, além das tradicionais arco e flecha e cabo de guerra, farão parte da rotina dos indígenas que vivem em 10 aldeias do município de Oriximiná, localizado a mais de 800 quilômetros da capital Belém. São cerca de 1,5 mil indígenas que poderão, ainda, assistir apresentações culturais, danças tradicionais e competições entre as tribos, localizadas entre os rios Mapuera e Cachorro.

O Pelc Indígena é uma modalidade do programa nacional de Esporte e Lazer da Cidade, que se propõe utilizar o esporte e o lazer como ferramentas de resgate e preservação da diversidade cultural indígena. Tawana, Mapium, Kuwanamari, Takarú, Inajá, Placa, Tamiuru, Ponkuru, Santidade e Mapuera - esse último, um povoado-sede que concentra a maioria absoluta da população com mais de mil habitantes - são as aldeias contempladas.

Os acertos finais para a implantação do Pelc Indígena estão sendo definidos entre o cacique Elizeu Wai-wai, líder da aldeia Mapuera, e representantes da Secretaria Nacional de Desenvolvimento do Esporte e do Lazer (SNDEL). Será realizada uma capacitação de 10 agentes que irão coordenar as atividades do programa em cada aldeia.

Maria Leonor Brenner, chefe de gabinete da secretaria, explica que o convênio firmado entre a SNDEL e a Associação Indígena do Mapuera (Apim) - entidade que viabilizou o apoio -- já foi aprovado e empenhado. "O próximo passo será a ida dos técnicos do Ministério e formadores do Pelc em cada aldeia para efetuar o treinamento da equipe", informa.

http://www.esporte.gov.br/ascom/noticiaDetalhe.jsp?idnoticia=6695

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.