VOLTAR

Parque Estadual do Rio Doce, em Minas Gerais, será reconhecido internacionalmente como área úmida

Ambiente Brasil - http://noticias.ambientebrasil.com.br
Autor: Danielle Jordan
23 de dez de 2009

Em fevereiro de 2010 o Parque Estadual do Rio Doce, localizado na região do Vale do Aço de Minas Gerais, será reconhecido oficialmente como área úmida internacional.

A lista Ramsar, ou Lista de Zonas Úmidas de Importância Internacional, considera zonas úmidas como áreas de pântanos e corpos de água, naturais ou artificiais, permanentes ou temporários. A relação foi criada em 1971, na Cidade iraniana de Ramsar, com objetivo de conservar áreas úmidas e aves aquáticas.

As áreas úmidas são importantes para a conservação da diversidade biológica. "O parque está inserido em uma região que se configura como o terceiro maior ecossistema lacustre do Brasil, perdendo apenas para o Pantanal e a Amazônia", afirmou o gerente do Parque Estadual do Rio Doce, Marcus Vinícius de Freitas.

A medida vai garantir uma divulgação internacional para o parque e pode atrair pesquisas e investimentos.

A região possui 40 lagoas naturais, com uma grande diversidade de peixes. A Mata Atlântica predomina e abriga animais ameaçados de extinção, como a onça pintada e o monocarvoeiro, considerado o maior primata do continente.

O Brasil possui oito zonas úmidas incluídas na Lista Ramsar, somando 6,5 milhões de hectares. Além do Parque do Rio Doce, fazem parte a Área de Proteção Ambiental da Baixada Maranhense (MA), o Parque Nacional da Lagoa do Peixe (RS), a Área de Proteção Ambiental das Reentrâncias Maranhenses (MA), Parque Estadual Marinho do Parcel de Manuel Luiz (MA), a Ilha do Bananal, no Parque Nacional do Araguaia (TO), o Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense (MT) e a Reserva Particular do Patrimônio Natural do Sesc Pantanal.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.