VOLTAR

Parceria pelo meio ambiente

CB, Cidades, p.24
09 de set de 2005

Parceria pelo meio ambiente
Devastação de árvores nas margens dos córregos, assoreamento do curso dágua, erosão do solo, lixo urbano, entulho e lançamento de animais mortos nos rios. Problemas ambientais detectados em mais de mil propriedades rurais em cidades do Distrito Federal e do Entorno por uma equipe de 20 técnicos da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb). Com base nesse levantamento foi criado o projeto Nascentes do Corumbá, que tem como objetivo reverter os impactos da degradação ambiental das bacias hidrográficas que formam a barragem de Corumbá IV.
O primeiro passo foi fazer o reconhecimento aéreo da região e documentar os estragos com fotografias. Em seguida, foram coletadas amostras de água em 28 pontos do DF e de Goiás. A partir dos dados e de um novo recolhimento de água em 40 áreas mais importantes das sub-bacias, foi elaborado o diagnóstico do uso e ocupação do solo e de degradações ambientais na região. Nas visitas, os técnicos da Caesb deram orientações sanitárias e ambientais aos proprietários das terras.
A segunda parte do projeto iniciou ontem, com a assinatura de um protocolo de intenções do Governo do Distrito Federal (GDF) com o governo de Goiás. Um termo de cooperação técnica será elaborado para frear a devastação das matas ciliares nas margens dos córregos de Corumbá IV. O estudo preliminar da Caesb servirá de base para um estudo detalhado dos problemas sanitários e ambientais da bacia hidrográfica de Corumbá. Também haverá uma divisão de tarefas para ações que possam diminuir os danos à degradação do meio ambiente. Mas não há previsão dos recursos que serão investidos para a recuperação da área. Tudo vai depender de um novo estudo”, diz o presidente da Saneamento de Goiás S/A (Saneago), Geraldo Félix de Souza.
Águas Lindas
A idéia do projeto Nascentes de Corumbá surgiu de uma outra parceria entre GDF e Goiás, em julho, para a execução da infra-estrutura de abastecimento e tratamento do esgoto em Águas Lindas (GO), a 55km de Brasília. As obras devem iniciar em outubro. A previsão de investimento é de R$ 185 milhões. Serão construídos 836 quilômetros de redes de distribuição com mais de 22 mil ligações domiciliares e ainda uma estação de tratamento de esgoto.
Segundo Fernando Leite, presidente da Caesb, a preservação do meio ambiente não pode se restringir somente a questão geográfica e política”. Apenas 13% de todo o Entorno têm tratamento de esgoto e 18% recebem água encanada. Com tantos problemas, a solução irá de aulas de conscientização ambiental para a população até obras de grande porte”, afirma.
Para o gerente-executivo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) do DF, Francisco Palhares, a precariedade urbana da região do Entorno, que não pára de se expandir, é um dos fatores da degradação ambiental.
O governador Joaquim Roriz mostrou preocupação com o futuro da capital do país. Não podemos impedir as pessoas de viram para Brasília por causa da qualidade de vida. Não podemos construir um muro. Se existe Entorno é porque existe Brasília”, justifica.
CB, Cidades – 09/09/2005, p. 24

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.