VOLTAR

Para impedir a compra de votos, Justiça Eleitoral faz eleições dentro da reserva Vale do Javari, no Amazonas

Amazônia Real - http://amazoniareal.com.br/
Autor: Kátia Brasil
08 de out de 2014

Os eleitores da Terra Indígena Vale do Javari, localizada no oeste do Estado do Amazonas, na fronteira com o Peru, votaram pela primeira vez, no dia 05 de outubro, em seções eleitorais instaladas em seis comunidades pelo Tribunal Regional Eleitoral. A votação dentro das aldeias era uma reivindicação das lideranças das etnias Marubo, Matís, Mayuruna (ou Matsés), Kanamari e Kulina.

Nas eleições de 2012, ao menos mil índios receberam combustível em troca dos votos para viajar de barco das aldeias e votar na sede do município de Atalaia do Norte. O percurso entre a reserva e a cidade é de 1.300 quilômetros, feito pelos índios em 20 dias de viagem.

Depois da votação daquele ano, os eleitores indígenas foram abandonados pelos políticos na cidade. Sem recursos para o combustível, não puderam retornar às aldeias. Ficaram vivendo dentro de 96 canoas ancoradas num porto improvisado. A falta de água potável e saneamento básico do lugar provocaram um surto de diarreia no grupo. Cinco crianças morreram com sintomas da doença.

Na ocasião, o caso foi denunciado à imprensa pela Funai (Fundação Nacional do Índio). A Polícia Federal, os Ministérios Públicos Federal e Estadual continuam investigando políticos de Atalaia do Norte em segredo de justiça. O crime previsto no Código Eleitoral, que é dar ou oferecer dinheiro ou vantagem para obter voto, prevê pena de até quatro anos de prisão.

Na Terra Indígena Vale do Javari vivem 5.000 índios das etnias Marubo, Matís, Mayuruna, Kanamari e Kulina, além de um número ainda desconhecido de povos isolados, entre eles, os Korubo.

Em entrevista à agência Amazônia Real, um dos líderes da Terra Indígena Vale do Javari, Clóvis Marubo, disse que a eleição dentro da reserva neste ano foi um momento histórico para o movimento indígena do Amazonas.

"Os povos indígenas agradecem à Justiça Eleitoral na pessoa da juíza Barbara de Araújo Folhadela, da Comarca de Atalaia do Norte, que atendeu as reivindicações dos povos indígenas do Vale do Javari para implantação das urnas nas comunidades. Ao longo da história, os políticos locais manipularam os índios. Na eleição de 2012, cinco crianças morreram. Esse fato gerou um sentimento de revolta e fez os povos indígenas reivindicarem as urnas nas comunidades", afirmou Clóvis Marubo.

Urnas viajaram de helicóptero para aldeias

Para instalar as seis seções eleitorais dentro das comunidades indígenas do Vale do Javari, a Justiça Eleitoral contou com o apoio do 80o. Batalhão de Infantaria de Selva do Exército, da Secretaria Espacial de Saúde Indígenas (Sesai), da Funai, do Ministério Público Estadual e da Prefeitura de Atalaia do Norte (cidade distante de Manaus a 1.136 quilômetros). O transporte dos funcionários e das urnas eletrônicas foi realizado por helicópteros. A transmissão dos dados das urnas funcionou via satélite.

As seções eleitorais, que pertencem a 42ª. Zona Eleitoral (Atalaia do Norte), foram instaladas nas comunidades São Luís (Seção no. 25), do povo Kanamary, que atendeu também índios Mayuruna do médio rio Javari e Kulina do médio rio Javari; Lobo (no. 26), do povo Mayuruna, que atendeu os índios da mesma etnia das comunidades do alto rio Jaquirana; Vida Nova (no. 27), do povo Marubo do baixo e alto rio Ituí; São Sebastião (no. 28), do povo Marubo do médio e alto rio Curuçá, e onde votaram também os índios Mayuruna do rio Pardo e baixo Curuçá; Romancinho (no. 29), do povo Kanamary do baixo e alto rio Itacoaí; Paraíso ou Tawaya (no. 30) do povo Matís do rio Branco e Coari.

A reportagem não conseguiu entrevistar a juíza Barbara Folhadela, responsável pelo pleito das eleições em Atalaia do Norte. Em entrevista à agência Amazônia Real, o coordenador da Coordenação Regional do Vale do Javari da Funai, Bruno Pereira, que acompanhou as eleições na terra indígena, disse que a Justiça Eleitoral respeitou a vontade dos indígenas desde os locais das seções às suas especificidades culturais. "Eles ficaram muito felizes, respeitados e contemplados. Eles deram um show de cidadania", afirmou Pereira.

A reportagem solicitou informações à Justiça Eleitoral sobre o resultado das eleições do primeiro turno nas seis seções eleitorais da Terra Indígena do Vale do Javari. Segundo o chefe do Cartório, Hermeson Silva, dos 1.080 eleitores aptos a votar, 784 compareceram às urnas e 296 faltaram.

A agência Amazônia Real teve acesso ao resultado da apuração dos votos válidos dos candidatos à Presidente da República da eleição no Vale do Javari: Marina Silva (PSD) recebeu 672 votos, Dilma Rousseff (PT), 34 e Aécio Neves (PSDB), 14. Votos anulados foram 64 e em branco zero.

http://amazoniareal.com.br/para-impedir-a-compra-de-votos-justica-eleit…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.