VOLTAR

Oficina resgata tradição kaxinawá no Acre

Home page da FUNASA - http://www.funasa.gov.br/internet/Web%20Funasa/not/not2009/not143.htm
20 de mar de 2009

A Coordenação Regional da Funasa no Acre (Core/AC) realizou esta semana a 2ª Oficina de Etnomedicina, em parceria com a Universidade Federal do Acre (UFAC) e a prefeitura de Santa Rosa do Purus, na Aldeia Novo Lugar, cerca de seis horas de viagem (de voadeira) da sede do município. Cerca de 50 lideranças indígenas de cinco aldeias da etnia kaxinawá (huni kui~, que significa gente de verdade”) do Alto Rio Purus trocaram experiências sobre seus conhecimentos tradicionais voltados à saúde, como o uso de ervas, plantas, raízes e outros produtos naturais para a cura e prevenção de doenças.

A oficina contou com a participação de representantes das aldeias Novo Lugar, Nova Fronteira, Nova Moema, Novo Recreio e Nova Vida, todas da etnia kaxinawá, localizadas às margens do Rio Purus, entre Santa Rosa e Manuel Urbano. O evento contou com a participação de caciques, Agentes Indígenas de Saúde (AIS), professores, Agentes Indígenas de Saneamento (Aisan), parteiras, mulheres e pajés.

O trabalho foi coordenado pela professora Alcilene Alves, do setor de Educação em Saúde da Core/AC e pelo professor Paulo Klein, do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto da UFAC. O professor apresentou suas experiências e conhecimentos com o uso de plantas e raízes regionais, que já lhe renderam, inclusive, uma publicação.

Os representantes das aldeias também apresentaram seus conhecimentos na área, com a utilização de espécies nativas para várias doenças. Seus remédios naturais são utilizados em conjunto com rituais espirituais, como cantorias.

O resultado das duas oficinas (a primeira realizada em março de 2008) servirão para elaboração de uma publicação bilíngüe (português e kaxinawá), onde ficarão registrados os conhecimentos tradicionais dos kaxinawás voltados à sua saúde, como as plantas, ervas e raízes usadas e as receitas para o preparo.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.