VOLTAR

O que o PAS vai cobrar

CB, Gabarito, p. 6-7
03 de nov de 2008

O que o PAS vai cobrar
Conheça os filmes, livros, textos, obras de arte que serão recomendados para o subprograma 2009

Priscilla Borges
Da equipe do Correio

Durante quase um ano, educadores interessados nos debates postaram sugestões em um blog da Gerência de Interação Educacional do Cespe, se encontraram periodicamente e definiram quais serão as obras sugeridas para auxiliar as escolas na construção das competências e habilidades consideradas essenciais para cada ano do ensino médio.

No mês de outubro, mais uma revisão da Matriz de Objetos de Avaliação do PAS foi concluída. Isso significa que novas obras - sejam elas literárias, científicas, filosóficas, sociológicas, musicais, artísticas - foram definidas para a 1ª etapa do Subprograma 2009. Em um processo democrático, professores de diversas escolas definiram junto com os docentes da UnB o que será avaliado nas provas do PAS que ocorrerão no ano que vem.

Os professores decidiram privilegiar durante a seleção dos livros, a partir de agora, aqueles que são de domínio público. Com a medida, os estudantes poderão fazer download dessas obras em sites públicos e não pagarão nada por elas. Os colégios também podem imprimir os livros e distribuir aos estudantes que não possuem acesso à internet. Os que preferirem podem ler os textos no computador.

Apenas um dos livros escolhidos para o subprograma 2009 - Almanaque Brasil Socioambiental 2008 - não está nessa condição. Ele custa R$ 38, mas a idéia é que ele seja utilizado nas três séries a partir do ano que vem. "Primeiro, os estudantes de escola pública conquistaram a gratuidade das inscrições. Agora, essa medida é uma nova conquista para a maioria, que possui um poder aquisitivo pequeno e uma obra de R$ 25 pesa no orçamento. Acreditamos que os alunos se sentirão ainda mais estimulados a participar", analisa Sônia Cotrim, professora de língua portuguesa do Centro de Ensino Médio 2 de Ceilândia.

Os alunos da escola aprovaram a decisão dos professores. Para eles, ficará mais fácil ler as obras. Layssa Carolyne Amaral Viana, 14, Layza Chrystiane Seabra de Almeida, 15, Jonatas Ramon, 16, e Daniel Rodrigues, 15, dependem da disponibilidade dos livros na biblioteca da escola ou do empréstimo dos colegas para lerem todas as obras indicadas. Poucas vezes eles compram alguma delas. "Não comprei nenhum. Pego os livros emprestados com uma vizinha ou nas bibliotecas", admite Layssa.

Ednéia Guimarães, 41, aluna da 2ª etapa no turno da noite, já utiliza o portal Domínio Público, que possui diversos livros disponíveis para download gratuito. Porém, como não há todos os títulos exigidos no site, também depende do auxílio da biblioteca. Com a novidade, os alunos acreditam que ninguém deixará de fazer as leituras recomendadas. "É importante porque nem todo mundo tem condições de comprar os livros", analisa Layza.

Para os estudantes, a prática de recomendar obras para leitura, feita pelo PAS, facilita a rotina de estudos. "A gente não precisa tentar adivinhar o que querem que a gente saiba. E podemos nos focar no que realmente interessa", opina Daniel.

Sônia e os colegas Edivaldo Monte, professor de filosofia e sociologia, e Dora Sampaio, professora de sociologia, admitem que a abordagem dos conhecimentos no PAS forçou os professores a mudar de postura. A necessidade de trabalhar de forma interdisciplinar abriu o diálogo entre os educadores e os fez voltar a estudar. "Acabou aquela idéia de que só o professor de literatura tinha que trabalhar uma obra com os alunos. Percebemos que outras disciplinas podem contribuir para o processo", destaca Edivaldo.

Temas variados
Como já é de praxe no PAS, não há recomendação apenas de livros de literatura (confira quadro). O Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de La Boétie, por exemplo, é um texto que analisa criticamente a monarquia, leva à reflexão sobre o papel de cada um na sociedade e ressalta a importância da liberdade e da igualdade. Apesar de ter sido escrito em 1563, os temas tratados na obra continuam atuais. A expectativa dos professores é de que a leitura do livro sirva para que os estudantes compreendam melhor a sociedade em que vivem e fundamentem projetos de futuro.

Um texto que pode surpreender os alunos é o artigo 5.o da Constituição da República Federativa do Brasil. Ele trata dos direitos e deveres individuais e coletivos no país. Como na 1ª etapa do programa o objetivo principal é analisar como o estudante se vê inserido no mundo, a leitura do artigo contribui para a reflexão. Outros textos atuais farão parte da matriz de objetos, mas ainda não foram definidos. A sugestão é de que eles contemplem outras linguagens, como blogs. "Isso facilita a vida do aluno, porque os textos estão disponíveis gratuitamente", comenta Messias Souza, professor de matemática do Colégio Marista.

Luana Mondadori Loureiro, 16, Thaissa Machado, 16, Miguel Melo Moreira da Silva, 15, e Guilherme Teles, 15, que vão estrear no PAS este ano, admitem que a vida escolar mudou bastante com a chegada ao ensino médio. A pressão aumentou. Assuntos como a entrada na universidade e carreira passaram a fazer parte das conversas entre amigos mais cedo. A leitura também mudou. Antes, precisavam atingir uma meta na quantidade de livros lidos, mas os títulos não eram definidos pela escola.

Agora, eles contam que o número de obras lidas por cada um diminuiu, mas a qualidade da leitura, aumentou. "Antes, a gente podia ler só um resumo que conseguia fazer a prova. Agora, tem que ler tudo. Mas isso é positivo", garante Maitê de Oliveira Lima, 15. Os estudantes elogiam a escolha de obras variadas. "Acho que é mais interessante. Os alunos passam a perceber a relação das coisas", comenta Miguel. Luana lembra que o conteúdo das obras é analisado dentro de contextos sociais e históricos.

Lógica invertida

O gerente de Interação Educacional do Cespe, Ricardo Gauche, ressalta que as mudanças preservam a essência dos objetos de avaliação para a 1ª etapa. "As alterações se deram fundamentalmente nas obras (livros, filmes, obras de arte, peças teatrais e músicas), ou seja, mudam-se apenas os meios pelos quais os conceitos são avaliados", destaca. "A revisão periódica implica acompanhar os avanços curriculares atinentes aos projetos pedagógicos das diferentes escolas, gerando avanços no processo seletivo representado pelo PAS/UnB", enfatiza.

Por isso, a colaboração dos professores no processo é considerada fundamental. Este ano, a Secretaria de Educação do DF estimulou as escolas a enviarem sugestões ao Cespe. Ainda assim, a participação dos professores é pequena. Poucos comparecem às reuniões presenciais, especialmente os que trabalham em colégios particulares. Para Mário Bispo dos Santos, professor de sociologia do CEM 2 de Ceilândia, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (Sinepe) também deveria incentivar os docentes a fazer parte das discussões. "A UnB é a única instituição que dá essa oportunidade. Mas as escolas de Brasília não aproveitam isso", completa Messias.

"É importante mudar as obras para criar alternativas para a banca examinadora. Muitas vezes, as estratégias se esgotam em cima de um livro", reforça Bispo. Esse cuidado, no entanto, deveria ser melhor aproveitado pelos examinadores, na opinião dele. Para ele, as avaliações têm utilizado os livros de modo superficial. "Eu anseio que a banca elabore provas que aproveitem mais a riqueza oferecida pela obras e verifique a capacidade do candidato refletir sobre os fundamentos existenciais da experiência humana, das ciências, da vida em sociedade", ressalta.

Também haverá mudanças nas obras previstas para a 2ª etapa do subprograma 2008. Os professores das escolas e o Cespe decidiram retirar alguns livros das recomendações. Dias e dias, de Ana Miranda, A máquina, de Adriana Falcão e Mundo sustentável, de André Trigueiro, não farão mais parte da matriz de objetos de avaliação. Segundo Gauche, a decisão foi tomada para "garantir o acesso gratuito pleno às obras, por parte de todos os candidatos, independentemente da disponibilidade comercial das mesmas".

Fique de olho

Livros e textos
" O Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de La Boétie
" Almanaque Brasil Socioambiental 2008, do Instituto Socioambiental*
" Artigo 5o da Constituição da República Federativa do Brasil, 1988
" A pele do lobo, de Arthur de Azevedo (peça teatral)
" Cartas Chilenas, de Tomás Antônio Gonzaga
" A alma encantadora das ruas, de João do Rio
" Textos contemporâneos a serem definidos

Músicas
" Symphoniae (principalmente a antiphona O quam mirabilis est, De patriarchis et prophetis), de Hildegard Von Bingen
" Hino de Duran, O casamento dos pequenos burgueses, Se eu fosse o teu patrão,
" Ópera e Tango do covil, da Ópera do Malandro, de Chico Buarque
" Ópera Carmen, de Bizet
" Bachiana no 4, de Heitor Villa-Lobos
" Eu nasci com fama, do grupo Móveis Coloniais de Acaju
" Eu nasci há dez mil anos atrás, de Raul Seixas e Paulo Coelho, cantada por Móveis Coloniais de Acaju
" Daqui pra frente e Cedo ou tarde, do NX Zero
" Pro dia nascer feliz, Cazuza
" Sweet Lullaby, do Deep Forest
" Sadeness, do Enigma
" Violeira, de Chico Buarque e Tom Jobim
" Obra de Marluí Miranda e do grupo Uaktí
" Funk (a música ainda será definida)

Filmes
" Atlântico negro na rota dos Orixás, de Renato Barbieri
" Para o dia nascer feliz, de João Jardim
" Encontro com Milton Santos, ou o mundo global visto do lado de cá, de Silvio Tendler

Artes visuais
" Pinturas rupestres realizados na Região de Lagoa Santa (Minas Gerais)
" Grafites dos artistas conhecidos como Os Gêmeos
" Moça com brinco de pérola, 1665, de Jan Veermer
" A velha (Rainha de Tunis), 1513, de Quentin Massys
" O Beijo, 1967, de Valdemar Cordeiro
" Auto-retratos da artista mexicana Frida Kahlo
" Fotografias do acampamento de Sem Terra em Rio Bonito do Iguaçu (Paraná) feitas 1996 por Sebastião Salgado
" Esculturas de Mauritius Cornélius Escher
" Arquitetura do Teatro Nacional de Brasília, de Oscar Niemeyer
" Blocos do Teatro Nacional de Brasília, de Athos Bulcão
" Pirâmides incas de Machu Picchu, no Peru
" Desenhos e vitrais de Henri Matisse, da Capela Nossa Senhora do Rosário em Vence, na França
" Azulejos de Athos Bulcão na Igreja Nossa Senhora de Fátima de Brasília (Igrejinha da 307/308 Sul)
" Exposição das Vacas espalhadas pela Avenida Paulista (em 2005)
" Escultura Meteoro, de Bruno Giorgi (no Palácio do Itamaraty)
" Escultura Condor, de Bruno Giorgi (na Praça da Sé, em São Paulo)
" Ruínas de Stonehenge, na Inglaterra
" Estátua de Carlos Drummond de Andrade em Copacabana (RJ), de Leo Silveira - referência ao poema do escritor Fala, Amendoeira

Onde encontrar
" eBooksBrasil (www.ebooksbrasil.org)
" Biblioteca Nacional Digital do Brasil (www.bn.br/bndigital)
" Ministério da Educação (www.dominiopublico.gov.br)

* O único livro que não é de domínio público. Pode ser adquirido pelo site www.socioambiental.org

CB, 03/11/2008, Gabarito, p. 6-7

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.