VOLTAR

Nova edição da revista MG-BIOTA já está disponível

IEF - www.ief.mg.gov.br
25 de jun de 2009

O mais recente número da divulgação cientifica \"MG-BIOTA\" já está disponível para sua circulação. A revista, que é elaborada pelo Instituo Estadual de Florestas (IEF), por meio da Diretoria de Biodiversidade (DBIO), traz nesta 6ª edição a situação atual dos mamíferos do Parque Estadual do Itacolomi e uma explicação sobre o plano de manejo da Unidade de Conservação (UC). Além disso, há também um artigo sobre o Muriqui-do-norte, mamífero que vive no entorno do Parque Estadual do Ibitipoca.

Nesta edição, a diversidade de formas e tamanhos que caracterizam os mamíferos de Minas Gerais é apresentada ao público. \"Grandes ou pequenos, os mamíferos possuem importante papel ecológico e desempenham ações fundamentais para a manutenção do equilíbrio da natureza como, por exemplo, a polinização e a dispersão de sementes de várias espécies que compõem a flora mineira\", explica o Diretor-Geral do IEF, Humberto Candeias Cavalcanti.

De acordo com o diretor de biodiversidade do IEF, Célio Vale, a \"MG-BIOTA\" é um dos muitos projetos elaborados pela Diretoria de Biodiversidade para divulgar as pesquisas realizadas nas UCs. \"Pesquisamos para que seja possível conhecer melhor o que Minas Gerais tem, e para que possamos descobrir a melhor forma de preservar\", afirma o diretor.

O boletim científico busca mostrar a necessidade de manutenção das áreas que servem de abrigo para o grande número de seres vivos encontrados em Minas Gerais. Muitos dos quais estão ameaçados de extinção e outros, ainda, desconhecidos pela ciência. A publicação tem distribuição gratuita e disponibiliza informações sobre pesquisas científicas realizadas, principalmente, nas unidades de conservação de Minas Gerais.

A MG-BIOTA é publicada bimestralmente e tem como objetivo divulgar o conhecimento da biodiversidade mineira. As outras edições já falaram sobre os anfíbios da Serra do Brigadeiro; Ecologia, ocupação humana e conservação do Parque Estadual da Mata Seca; Uso do minhocoçu e as plantas medicinais da Estrada Real e do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro. O último número tratou sobre as várias espécies de aves de rapina encontradas no Parque Estadual do Rio Doce. É possível visualizar os números anteriores no site do IEF.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.