VOLTAR

Na Amazônia, o progresso que não respeita origens

Porantim (Brasília - DF)
01 de fev de 1982

São diversos os povos que enfrentam a ganância dos poderosos e a tentativa desenvolvimentista do novo Estado. Com a tentativa de entrada desses projetos que trarão o desenvolvimento e a demarcação das terras em pruridos, diversos povos, na Amazônia ou no Nordeste, sofrem violências. É o caso dos Uru-eu-wau-wau, dos Waimiri Atroari, dos Xocó e muitos outros.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.