VOLTAR

Na abertura, secretária prega ampliação de áreas protegidas

ICMBio - www.icmbio.gov.br
Autor: Elmano Augusto
20 de set de 2009

"O futuro somos nós", disse a secretária de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Maria Cecília Wei de Brito, ao destacar, neste domingo (20), em Curitiba (PR), durante a abertura do VI Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), a intenção do MMA de ampliar o sistema nacional de áreas protegidas, que já cobre 16% do território brasileiro, levando-se em conta as federais, estaduais e municipais. Metade desse espaço - 8,5% - é formado pelas 304 unidades de conservação (UC) federais.

Segundo a secretária, que representou o ministro Carlos Minc na solenidade, a meta do MMA é criar até o fim do governo Lula 20 milhões de hectares de unidades de conservação . A tarefa não é simples: para chegar lá, faltam ainda 14 milhões de hectares, além dos 6 milhões já implantados desde o início de 2003.

Cecília ressaltou que, nessa empreitada, o MMA conta com o empenho do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) - "que está se consolidando cada vez mais", fez questão de frisar -, mas precisa também dos governos estaduais e municipais.

"Temos que fazer um esforço muito grande, precisamos somar forças. É uma tarefa que não é só nossa (do governo federal). É de todas as instâncias de governo, dos estados, dos municípios", conclamou a secretária.

Com isso, lembrou Cecília, além de garantir um futuro melhor para o país e para o planeta, o Brasil cumprirá a sua parte na Convenção da Diversidade Biológica (CDB), protocolo da ONU que coloca a criação de áreas protegidas como uma das principais medidas para a preservação da biodiversidade na Terra.

ICMBIO - O presidente do Instituto Chico Mendes, Rômulo Mello, e o diretor de Unidades de Conservação de Proteção Integral do Instituto, Ricardo Soavinsky, também participaram da abertura do VI CBUC, junto com dezenas de analistas e técnicos do Instituto, que, até o final do encontro, na quinta (24), vão dar palestras nos simpósios e apresentar trabalhos científicos.

A solenidade de abertura do VI CBUC ocorreu no centro de convenções Expo Unimed, no campus da Universidade Positivo, em Curitiba, e foi aberta pelo presidente do conselho curador da Fundação O Boticário, Miguel Gellert Krigsner, e pela diretora executiva da instituição, Maria de Lourdes Nunes. O prefeito de Curitiba, Beto Richa, e o governador Roberto Requião não puderam comparecer, mas mandaram representantes. Ao final, o grupo de balé do Teatro Guaíra fez uma exibição cujo tema era a água. Foi aplaudido de pé pelas quase duas mil pessoas na platéia.

As conferências começam às 9h desta segunda-feira (21). O primeiro convidado a falar será Robert Costanza, da Universidade de Vermont EUA. Ele vai abordar o tema "O desafio do século XXI: como integrar a conservação da natureza e o desenvolvimento econômico?". Às 16h35, o ICMBio fará a sua primeira participação oficial: a coordenadora de Avaliação do Estado da Biodiversidade do Instituto, Mônica Brick Peres, vai falar sobre "Vulnerabilidade, ameaças e medidas de conservação para peixes ameaçados de extinção, no simpósio sobre Conservação de ambientes costeiros e marinhos.

O CBUC, que chega este ano a sua sexta edição, é promovido pela Fundação O Boticário e tem patrocínio e apoio de várias instituições, entre elas o Ministério do Meio Ambiente. Até a quinta-feira (24), especialistas do Brasil e do mundo vão tratar de temas relacionados com a gestão das UCs e a preservação dos recursos naturais renováveis.

A Agência de Notícias do ICMBio, a AGBio, está fazendo toda a cobertura do evento. O material será disponibilizado diariamente neste site e nos boletins para a imprensa.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.