VOLTAR

MT terá Brigada de Prevenção e Combate a incêndios em reservas indígenas

O Documento - www.odocumento.com.br
28 de jul de 2008

A primeira brigada de prevenção e combate a incêndios em reservas indígenas do país deve começar a operar em agosto. A previsão foi anunciada nesta segunda-feira (28.07) pelo superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil do Estado de Mato Grosso, Rômulo Vandoni. Segundo ele, a brigada tem início com os primeiros 50 indígenas que se encontram em fase de conclusão do treinamento oferecido pelo Corpo de Bombeiros do Estado. A previsão é que até o próximo ano, 1.050 índios sejam treinados e integrados nas brigadas, em todo o Estado. Este primeiro grupo é composto por índios de várias etnias que, a princípio estarão sediados no posto base Leonardo Villas Boas, no Alto Xingu, próximo ao município de Gaúcha do Norte (595 Km ao Norte de Cuiabá-MT).

As brigadas se integram ao Plano Estadual de Prevenção e Combate a queimadas e incêndios lançado na semana passada pelo secretário-chefe da casa Civil, Eumar Novacki. Além de exercício para prevenção e combate a incêndios florestais nas áreas de reservas indígenas, eles também serão capacitados para atendimento de primeiros socorros. Vandoni, lembrou que o decreto no 1.223, autorizando a criação das brigadas nas reservas, divulgado no último dia 14 de março, foi assinado pelo governador Blairo Maggi com a finalidade de manter o fogo sob controle; proteger a vida, o patrimônio e o meio ambiente.

A brigada foi criada graças a um Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Casa Civil, Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio do Corpo de Bombeiros para o trabalho de capacitação. O projeto é executado com o apoio do Banco do Brasil, Banco Internacional de Desenvolvimento (BID) e Instituto Raoni. As prefeituras na região das aldeias, a exemplo da Prefeitura de Colíder, também são parceiras do Governo do Estado. Segundo o decreto, o treinamento deve ser solicitado pela liderança indígena local e Fundação Nacional do Índio (Funai). Depois de treinados, os bombeiros índios serão equipados com todo o material necessário para o trabalho.

Nos últimos anos, o incêndio florestal, por acidente ou de forma criminosa, trouxe diversos prejuízos aos indígenas, que perderam bens e os materiais necessários para a construção das ocas, como a madeira imbira. Ele disse ainda que em breve será elaborado o Plano de Trabalho e assim que puder terá início o trabalho de conscientização sobre a necessidade da Brigada na região dos Xavantes e dos Bororos.

"Nesta região, os próprios índios já estão motivados e conscientes de que eles mesmos devem cuidar de suas áreas e protegê-las contra os incêndios. Os caciques indicaram três a quatro guerreiros por aldeia, das 12 etnias existentes na área, que recebem o treinamento do Corpo de Bombeiros", afirma Rômulo Vandoni.

Para Vandoni, o projeto de criar uma brigada formada pelos próprios índios treinados pelo Corpo de Bombeiros do Estado amplia a capacidade de prevenção e combate a incêndios na medida em que só no Estado de Mato Grosso, o Parque Nacional do Xingu corresponde a 2,9 milhões de hectares de seu território ou cerca de 20% de sua área total e foi uma das mais afetadas com os recentes incêndios florestais. "É preciso aglutinar mais agentes de prevenção e combate e os próprios índios treinados para esse trabalho com certeza responderão com mais rapidez a quaisquer pretensões criminosas neste sentido, ainda mais em suas próprias reservas", concluiu o superintendente.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.