VOLTAR

MPF solicita apoio nas buscas por índios desaparecidos em Mato Grosso do Sul

Notícias do Ministério Público Federal - http://migre.me/b5bF
06 de nov de 2009

Exército, Polícias Militar e Civil, Bombeiros e Prefeitura de Paranhos foram acionados para ajudar na operação. Índios estão desaparecidos desde o último sábado

O Ministério Público Federal em Ponta Porã (MS), por meio do procurador da República Thiago dos Santos Luz, solicitou o apoio do Exército, das Polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros e da Prefeitura de Paranhos para auxiliar nas buscas aos dois indígenas que estão desaparecidos desde sábado, 31 de outubro, após confronto por disputa de terras na zona rural do município. Os ofícios foram expedidos ontem, 5 de novembro, para o Comando Militar do Oeste, Comando Geral da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Direção Geral da Polícia Civil e Prefeitura de Paranhos.

O MPF pede que os recursos logísticos e humanos fiquem à disposição do delegado da Polícia Federal (PF) Renato Rodrigues Gottardi, encarregado das buscas e investigações sobre o caso. Para o MPF, existe a necessidade de comunhão de esforços da sociedade organizada e as diversas esferas do poder público, para resolver o que é considerado um caso de "extrema gravidade".

Os dois indígenas da etnia guarani-kaiowá, professores Olindo e Genivaldo, desapareceram após o grupo do qual faziam parte ter entrado em confronto na ocupação de uma fazenda na área rural do município de Paranhos, na fronteira com o Paraguai. Na segunda, ao tomar ciência do ocorrido, o MPF acionou imediatamente a PF, requisitando a abertura de inquérito policial para investigar a ocupação e o desaparecimento dos indígenas.

Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República em Mato Grosso do Sul
(67) 3312 7265/ 3312 7283 / 9297 1903
ascom@prms.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_ms

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.