VOLTAR

MP ameaça cobrar da Justiça os direitos dos índios tuxás

A Tarde (Salvador-BA)
Autor: Marjorie Moura
12 de jun de 1999

O procurador da República, Robério Nunes dos Anjos, deverá entrar com ação judicial contra a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) por descumprimento do convênio para reassentamento da comunidade Tuxá após a construção da barragem de Itaparica.
O problema se arrasta desde 1988, e, o mais grave, segundo as lideranças indígenas, foi a ação desagregadora fomentada pelo Gerp - Grupo Executivo para a Conclusão do Projeto de Assentamento da População da Usina Hidrelétrica de Itaparica. O grupo, além de dividir famílias com falsas promessas, gerou o desmembramento político da comunidade indígena promovendo a eleição de um novo cacique.
Além disso, após a criação da Gerp, em 97, a proposta da Chesf passou a ser repasse de verbas, em valor fixado segundo critérios desconhecidos, diretamente à Funai.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.