VOLTAR

Mosaico Bocaina abre inscrições para Conselho Consultivo

ICMBio - http://www.icmbio.gov.br/
22 de abr de 2015

Inscrições até 30 de abril

O Mosaico Bocaina de Áreas Protegidas está com inscrições abertas para a formação do novo Conselho Consultivo (2015-2017). As organizações interessadas devem se inscrever até o dia 30 de abril em Angra dos Reis (RJ), Paraty (RJ) ou Taubaté (SP) nos endereços abaixo, ou por meio do e-mail comunicacao.mosaicobocaina@gmail.com. O edital de convocação com maiores informações, bem como o formulário de inscrição estão disponíveis no site do Mosaico Bocaina (http://www.mosaicobocaina.org.br/).

Segundo a Coordenação Colegiada do Mosaico Bocaina, instância facilitadora do trabalho do Conselho, a renovação será feita na composição de 31 membros titulares e 31 suplentes. A expectativa é de que a renovação do conselho consultivo do Mosaico Bocaina fortaleça a atuação da comunidade em seu território, ampliando as ações de conservação para além dos limites das Unidades de Conservação.

A gestão participativa do conselho consultivo busca uma presença dos conselheiros não apenas representativa, mas, acima de tudo, produtiva na forma de debates promovidos tanto pelo poder público quanto pela sociedade civil organizada.

O Conselho deve ser composto por setores governamentais e não-governamentais, como gestores das áreas protegidas, órgãos públicos, representantes das prefeituras municipais e da sociedade civil, incluindo terras indígenas, quilombolas, caiçaras e agricultores familiares.

"O Mosaico é um espaço para discutir as questões que extrapolam os limites das UCs e esse trabalho conjunto fortalece a gestão ambiental como um todo", afirma Eliel Pereira, chefe da Área de Proteção Ambiental de Cairuçu (RJ) e membro da Coordenação Colegiada do Conselho Consultivo.

Ainda segundo Eliel, os principais temas debatidos no âmbito do Mosaico são as sobreposições de áreas protegidas com territórios de populações tradicionais, as obras de infraestrutura (relacionadas a petróleo e gás, sobretudo) e os impactos do turismo.

A sociedade civil organizada que tenha interesse em participar do Conselho do Mosaico Bocaina, fortalecendo a gestão participativa de forma coletiva e democrática, deve se inscrever por meio do formulário e apresentar os documentos listados no edital.Os documentos devem ser enviados em cópias digitalizadas para comunicacao.mosaicobocaina@gmail.com ou entregues nos endereços:
SUPBIG: Av. Luigi Amêndola, 236, Parque das Palmeiras, Angra dos Reis, RJ / CEP: 23906-825 - A/c Mariana ou Felipe
Sede da Área de Proteção Ambiental Cairuçu: Rua Oito, casa 3, Portal de Paraty / RJ
Fundação Florestal - Núcleo Taubaté: Rodovia Oswaldo Cruz - Km 14 - Registro / SP CEP: 12010-970 - A/c APA Silveiras

Sobre o Mosaico Bocaina de Áreas Protegidas

Reunindo Unidades de Conservação (UCs) federais, estaduais e municipais do Rio de Janeiro e de São Paulo, bem como suas respectivas zonas de amortecimento, o Mosaico Bocaina de Áreas Protegidas constitui um importante fórum regional de gestão de áreas protegidas.

O principal objetivo do Mosaico é estimular a gestão integrada entre as diversas UCs, contribuindo para a conservação dos recursos naturais e pesqueiros, bem como para o desenvolvimento sustentável de seu território.

As UCs federais que fazem parte do Mosaico e que são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) são o Parque Nacional da Serra da Bocaina (SP), a Área de Proteção Ambiental de Cairuçu (RJ) e a Estação Ecológica de Tamoios (RJ).

Nas áreas do Mosaico Bocaina estão representados praticamente todos os ecossistemas associados à Mata Atlântica, de campos de altitude aos ambientes insulares e costeiros, formando paisagens de relevante apelo turístico que, somado a um rico patrimônio histórico e cultural, movimenta um fluxo de visitantes de mais de 500 mil pessoas por ano, especialmente nas cidades de Angra dos Reis (RJ), Paraty (RJ) e Ubatuba (SP).

Muitas das Unidades de Conservação que compõem o Mosaico Bocaina apresentam algum tipo de ocupação humana em seu interior, boa parte composta por povos e comunidades tradicionais, como caiçaras, agricultores familiares, quilombolas e indígenas, que desempenham um importante papel na conservação dos recursos naturais e dos conhecimentos tradicionais a eles associados.

O Mosaico cumpre, ainda, o papel de ampliar as ações de conservação para além dos limites das UCs, compatibilizando a presença da biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o desenvolvimento sustentável no contexto regional.

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/4-destaques/6776-m…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.