VOLTAR

Morte de 1500 ianomâmis é denunciada pela Igreja

Jornal de Brasília (Brasília - DF)
10 de fev de 1990

O secretário do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Antonio Brand, denunciou que 1500 índios Yanomami morreram entre 1988-1990, vítimas de doenças e de ações violentas por parte dos garimpeiros que se instalaram em Roraima em 1987. Ele responsabiliza o governo Sarney e o ministro da Justiça, Saulo Ramos, por tentar desviar a atenção do assunto, evitando cumprir a liminar da Justiça, que determina a desintrusão dos 40 mil garimpeiros que invadiram o território indígena.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.