VOLTAR

Minas Gerais: índio bom é índio morto

Folha de São Paulo
26 de abr de 1979

Em um trabalho exposto aos alunos da Universidade Católica de Minas Gerais, a professora Sônia Almeira Marcatto, da Universidade Federal de Juiz de Fora, procura contrapôr a verdadeira história dos índios mineiros àquela contada sob o ponto de vista dos colonizadores. Sônia apresenta a situação precária e particularidades dos índios Krenak, Xakriabá e Maxakali.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.