VOLTAR

Meio Ambiente e Desenvolvimento

Página 20-Rio Branco-AC
Autor: Tião Maia
28 de abr de 2004

Seminário vai debater experiência de manejo florestal relizada na Floresta Estadual do Antimary.
Floresta do Antimary é rica em biodiversidade, por isso funciona como um laboratório.

O Governo do Estado, através da Fundação de Tecnologia do Estado do Acre (Funtac), em parceria com o International Tropical Timber Organization (ITTO), promove, a partir de hoje até o dia 30, o seminário "Manejo Sustentável na Amazônia Brasileira". O evento será realizado a partir das 14 horas no auditório da Federação das Indústrias do Acre (Fieac) e visa discutir a experiência da Floresta Estadual do Antimary, o chamado projeto PD 94/90. Trata-se da primeira floresta pública estadual em operação com atividades de manejo sustentável, numa área de 77 hectares situada no centro-leste do Estado do Acre, no município de Bujari, que se estende até a fronteira com o Amazonas.

O Antimary funciona como laboratório de estudos técnicos de manejo nas áreas de mercado para produtos florestais madeireiros e não-madeireiros, além de pesquisar os aspectos sócio-econômicos relacionados aos seringueiros que vivem na reserva e a concessão para exploração privada das áreas de floresta. "No seminário serão apresentados os principais resultados obtidos no projeto", disse o diretor-presidente da Funtac, César Dotto.

O objetivo do projeto é incentivar e promover o desenvolvimento das florestas da Amazônia Ocidental, com uma política do uso integrado da terra, garantindo a produção sustentada e o uso racional da floresta, visando a melhoria da qualidade de vida da população tradicional. O projeto foi iniciado no início dos anos 90.

A ITTO tem sede em Yokohama, Japão. É uma instituição que reúne as nações com interesse no comércio de madeiras, no manejo e conservação das florestas tropicais, atualmente composta por 60 países produtores e consumidores de madeiras tropicais. Cada País tem representação no Conselho Internacional de Madeiras Tropicais, que se reúnem duas vezes ao ano para programar e financiar novas iniciativas e projetos.

A Organização tem como tarefa fomentar a produção e o comércio das madeiras tropicais, contribuindo para o desenvolvimento dos países tropicais, assegurando a conservação de suas florestas. Surgiu em virtude de um convênio internacional em 1983, estabelecido na Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento, que entrou em vigor em 1985 e em funcionamento em 1987.

O diretor executivo da ITTO é o brasileiro Manoel Sobral Filho. A estrutura organizacional é composta de uma Secretaria de Manejo Florestal, Secretaria de Indústria Florestal, Secretaria de Economia Florestal e uma Secretaria Administrativa e Financeira.

A Floresta Estadual do Antimary se destaca por representar uma área técnico-demonstrativa sobre a pratica de manejo florestal, como também uma experiência piloto no processo de concessão florestal para a extração madeireira num regime de manejo florestal sustentável, considerando o uso múltiplo da floresta e os aspectos ambientais e sócio-econômicos.

O projeto representa um passo importante para o desenvolvimento de técnicas para utilização dos recursos florestais sob um regime de rendimento sustentado e integrado envolvendo as populações tradicionais no processo. A implementação das atividades previstas visa alcançar o objetivo geral do projeto: incentivar e promover o desenvolvimento a longo prazo das florestas da Amazônia Ocidental, como parte de uma política de uso integrado da terra na região, tendo como modelo o Estado do Acre como modelo.

Este modelo de desenvolvimento será baseado na administração dos recursos florestais para uma produção sustentável com finalidade de elevar o nível de vida da população rural, colaborando com a prosperidade do Estado e elevando a riqueza da região, através da revalorização da floresta tropical. "As florestas tropicais têm sido, nos últimos anos, cada vez mais valorizadas quanto aos seus aspectos ambientais", ressalta a coordenação do Seminário. "Por isso, são necessárias políticas públicas que promovam o aproveitamento deste recurso natural".

Antimary foi descoberto por Plácido de Castro

A primeira informação histórica sobre levantamento do rio Antimary é a carta de Plácido de Castro, em 1907, sobre a navegação do Rio Acre, que detalha os pontos geográficos de importância até o Rio Antimary desaguar no Rio Acre. A população local é formada basicamente por seringueiros. Dados da Funtac revelam que 72.2% dos habitantes nasceram no Acre e 27.8% são de outros estados, sobretudo do Ceará, de onde veio a maioria dos migrantes que povou o Estado do Acre. A grande maioria (89.9%) ocupou sua colocação até a década de 80 e somente 8.8% chegou na década de 70 e o restante chegou na década de 60. A maioria (68.9%), contudo, vem de outras colocações de dentro da própria Floresta do Antimary (37.8%), e 31.1% de outras áreas de seringais.

As principais fontes de renda das famílias residentes na área é a exploração da castanha (bertholletia excelsa) e da borracha (hevea brasiliensis). A ocupação máxima da área esteve entre 80 a 100 famílias. A escolha da Floresta do Antimary como área para estudo de modelo de utilização da floresta tropical deve-se, principalmente, ao fato de que suas características representam a situação geral do Estado do Acre.
(Tião Maia-Página 20-Rio Branco-AC-28/04/04)

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.