VOLTAR

Mata Atlântica ganha 2 áreas de preservação

O Globo, Ciência e Vida, p. 48
25 de mar de 2006

Mata Atlântica ganha 2 áreas de preservação
Governo brasileiro sanciona criação de reservas de proteção de florestas de araucária e campos no Paraná

As florestas de araucárias e os campos pertencentes à Mata Atlântica ganharam mais fôlego diante da ameaça de extinção. O governo brasileiro sancionou ontem, no quarto dia da 8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8), a criação de duas unidades de conservação com proteção integral desse ecossistema no Paraná: o Parque Nacional dos Campos Gerais, com cerca de 21 mil hectares, e a Reserva Biológica das Araucárias, com cerca de 15 mil hectares.

A criação das unidades faz parte de um programa de recuperação de campos e florestas de araucária na Região Sul desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). Com as novas áreas protegidas, o número de unidades de conservação criadas recentemente nesses ecossistemas chega a cinco. O percentual de floresta de araucária ainda existente protegido quadruplicou com a ação, mas ainda é muito baixo: subiu de 0,25% para 1%.

ONGs alertam que
ainda há muito a fazer

O secretário de Biodiversidade de Florestas do MMA, João Paulo Capobianco, explicou que duas unidades já haviam sido criadas em Santa Catarina e uma no Paraná. As novas áreas protegidas, diz ele, foram pensadas conjuntamente.

- O trabalho é resultado de um estudo que busca preservar todos os fragmentos importantes da floresta de araucária e dos campos - disse Capobianco.

A coordenadora de ONGs da Mata Atlântica, Miriam Prochnow, comemorou a notícia, mas alertou que luta não está ganha:

- Ainda há muitas áreas desprotegidas. É preciso fazer o mesmo mapeamento no estado do Rio Grande do Sul.

O Globo, 25/03/2006, Ciência e Vida, p. 48

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.