VOLTAR

MA: Camponeses e pescadores expulsam latifundiário de suas terras

A nova democracia - https://anovademocracia.com.br/
Autor: FÓRUNS E REDES DE CIDADANIA DO MARANHÃO
30 de set de 2020

Camponeses e pescadores do Povoado Lage do Curral, comunidade localizada dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baixada Ocidental Maranhense no município de São Mateus do Maranhão, expulsaram de suas terras o latifundiário e criador de búfalo, Savigny Sauaia.

Há muitos anos, Savigny Sauaia persegue as comunidades ribeirinhas localizadas às margens do rio Mearim, numa região composta por inúmeros lagos e que integra uma Unidade de Conservação (UC), local onde as comunidades retiram o sustento, vivem e garantem o alimento, como é o caso do Povoado Lage do Curral. O latifundiário se diz dono de três fazendas no município de São Mateus: Agropastoril Boca do Cercado, Agropecuária Ilha da Onça e fazenda Uberaba.

A principal atividade do latifundiário Savigny era criação de gado bubalino, assim, além da destruição ambiental provocada por estes animais nos lagos públicos, o fazendeiro é conhecido na região por ser violento, havendo vários relatos por parte dos moradores de atos praticados por ele, seja com colocação de búfalos nos locais de pesca, ameaças, colocação de cercas elétricas, destruição do material de pesca e até agressões física.

Na insistência de perseguir e violentar a comunidade, no dia 29/07/2020, Savigny com um trator, tentou levantar uma aterro no meio da Povoado Lage do Curral na intenção de colocar estacas e arame, destruindo além dos quintais do ribeirinhos o campo de futebol da comunidade, único local de lazer dos moradores.

A atitude do latifundiário causou grande indignação em todo o povoado. Homens, mulheres, crianças e a juventude resolveram ir para frente do trator e impedir que o mesmo continuasse com levantamento do aterro. Ato seguinte, também impediram que fosse ligado uma "caixa-de-força" de energia elétrica que tem como fim energizar as cercas de arame erguidas nos lagos públicos para garantir a criação dos búfalos. Tal ação impediria o acesso das pessoas ao local onde centenas de pescadores retiram peixes para seus sustentos e de suas famílias.

Segundo relato de um dos moradores, o senhor Valdecy Fernandes Coelho "Vavá", Savigny pretende amedrontar os moradores da Lage do Curral para depois tomar tudo, mas, segundo ele isso não vai acontecer porque o povo está unido e mobilizado.

MORADORES DENUNCIAM CRIME DO LATIFUNDIÁRIO E SÃO INTIMADOS PELO DELEGADO

Os moradores do Povoado Lage do Curral, no dia 10 de agosto de 2020, se dirigiram à delegacia de polícia de São Mateus e registraram boletim de ocorrência sob o no 153120/2020, dando conta dos atos praticados pelo latifundiário contra os ribeirinhos.

No entanto, os camponeses e pescadores foram surpreendidos com a presença de policiais na comunidade quando foram intimados pelo delegado de São Mateus, Anderson Carvalho Pires, para prestarem depoimentos na delegacia no dia 08 de setembro de 2020.

Na ocasião, se deparam com informações destoantes da realidade, pois, Savigny acusa os moradores do Povoado Lage do Curral de criminosos, alegando que foi ameaçado pelos mesmos, de ter o arame de suas "propriedades" cortados, que os animais da comunidade estão dentro da sua terra e que seus búfalos estão sendo mortos à bala pelos camponeses.

Os camponeses e pescadores foram assistidos pelo assessor jurídico dos Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão, o advogado popular Dr. Iriomar Teixeira e pelo advogado Dr. Salomão Mattos.

COMUNIDADE REAGE COM ATO POPULAR

A reação das comunidades e dos movimentos sociais ligados ao campo foi imediata. Dezenas de pessoas ocuparam as ruas no dia 08 de setembro de 2020, a concentração começou logo cedo no Sindicato dos Trabalhadores(as) Rurais, percorrendo a principal avenida da cidade indo até a delegacia. Como de praxe a polícia militar do Governo Flávio Dino (PCdoB), tentou intimidar os manifestantes, que permaneceram por horas em frente a delegacia entoando canções populares e palavras de ordem enquanto alguns moradores prestavam depoimentos ao delegado.

Na manifestação, somavam-se inúmeros lutadores e lutadoras do povo, representantes de sindicatos, estudantes e moradores das seguintes localidades: Lage do Curral, Boi Baiano (Vila Nova), São Raimundo, Vai Quem Quer, Alto da Vitória, Piqui, Centro. A Câmara de vereadores da Cidade aprovou uma nota de repúdio ao latifundiário Savigny.

Ao final, a coordenadora dos Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão, encerrou o ato agradecendo os presentes, afirmando a necessidade de os camponeses e pescadores permanecerem firmes e unidos.

https://anovademocracia.com.br/noticias/14383-ma-camponeses-e-pescadore…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.