VOLTAR

Lobão: leilão de Belo Monte ocorrerá em 2009

Estadão.com.br
20 de mai de 2008

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, previu na segunda-feira (19) que o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, será realizado em 2009. "Deveremos ter uma competição acirrada", disse, ao comentar o resultado do leilão de Jirau, realizado na segunda-feira.

Segundo ele, a expectativa é de que o deságio para Belo Monte fique no mesmo patamar de Jirau e Santo Antônio. "Não teremos mais dificuldades de energia elétrica nesse País. Nem agora, nem amanhã, nem nunca." Lobão disse confiar na experiência e competência do consórcio vencedor de hoje e afirmou que o Sistema Eletrobrás estará presente em todos os leilões. O objetivo, segundo ele, é garantir segurança e tarifas mais baratas para o consumidor. "Há um grande vencedor nesse leilão, que é o consumidor brasileiro."

Lobão espera que a hidrelétrica de Jirau comece a operar em 2012, numa antecipação à previsão inicial, que era de ligar as primeiras turbinas em 2013. "Temos fundadas esperanças de que Jirau comece a operar em 2012", disse o ministro.

Ele ressaltou que, enquanto na Europa a energia está cada vez mais cara, o Brasil vem dando demonstrações de "quedas significativas" nas tarifas, como o deságio de 30% no leilão da hidrelétrica de Santo Antônio e o de 21,6% em Jirau. "Se considerarmos o preço de Santo Antônio e o compararmos com o vencedor de Jirau, temos um deságio de mais de 40%." Lobão afirmou que o governo está empenhado para que o processo de licenciamento ambiental seja rápido. "As licenças ambientais devem ser concedidas com o rigor da lei, mas o mais rapidamente possível", reiterou.

Ele chamou a atenção para o fato de que a hidrelétrica da Jirau terá investimentos de R$ 8,7 bilhões e irá gerar 20 mil empregos diretos e 50 mil indiretos. A proposta vencedora no leilão de Jirau, de R$ 71,40 por megawatt-hora (MWh), foi feita pelo consórcio liderado pela franco-belga Suez e representou deságio de 21,6% sobre a tarifa-teto, estabelecida pelo governo, de R$ 91 por MWh.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.