VOLTAR

Língua indígena é preservada

Agência FAPESP
31 de ago de 2006

Apenas 23 pessoas. Esse é o número atual de falantes da língua indígena sakurabiat. Para contribuir para a revitalização da língua e tentar evitar o seu desaparecimento, o Museu Paraense Emílio Goeldi lança nesta sexta-feira (1o/9), em Belém, a coletânea bilíngüe Narrativas Tradicionais Sakurabiat Mayãp Ebõ.

A obra registra, em livro e CD-ROM, parte da cultura imaterial do povo sakurabiat, que habita a reserva Rio Mequéns, em Rondônia. Composta por 25 histórias que narram as principais lendas mitológicas dessa etnia, a publicação foi organizada, em parceria com vários membros da comunidade, pela pesquisadora Ana Vilacy Galucio, que desde 1994 se dedica ao estudo e registro da língua sakurabiat por meio do programa de documentação científica das línguas amazônicas desenvolvido pelo Museu Goeldi.

Com 276 páginas, o livro apresenta narrativas de cunho moral que retratam as principais crenças e concepção de mundo dos sakurabiat, além de dados lingüísticos e etnográficos sobre o grupo, também conhecido como mequéns.

O CD-ROM traz a narração oral e escrita das mesmas histórias, tanto em português como em sakurabiat, que pertence à família lingüística tupari, do tronco tupi. Segundo o Museu Goeldi, os recursos oriundos da comercialização do kit (livro e CD-ROM) serão revertidos para os sakurabiat.

De acordo com Ana Vilacy, o interesse pela documentação das narrativas tradicionais partiu dos próprios sakurabiat. Narradas pelos anciãos em sua língua de origem, as histórias foram transcritas para o sakurabiat e traduzidas para o português com a ajuda dos jovens e adultos da tribo. As crianças também colaboraram, desenhando as belas ilustrações do livro.

"Esse trabalho motivou toda a comunidade para a valorização da língua e da cultura do grupo", disse a pesquisadora do Museu Goeldi. A obra destaca-se ainda por utilizar uma ortografia cientificamente correta e aceita pelo grupo.

O lançamento das Narrativas Tradicionais Sakurabiat Mayãp Ebõ será às 16 horas, no prédio da Rocinha, localizado no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, na Av. Magalhães Barata, 376.

O evento contará com a presença de dois representantes do grupo indígena sakurabiat: a narradora Vicência Conceição Sakyrabiar e seu filho Manoel Ferreira Sakyrabiar, uma das lideranças da tribo e um dos principais colaboradores no trabalho de documentação da língua.

Durante o lançamento, a coletânea poderá ser adquirida pelo preço promocional de R$ 35. Depois, será comercializada na Livraria da Rocinha (tel.: 91–3259-5757), também localizada no Parque Zoobotânico do Goeldi, por R$ 40.

A publicação, que será utilizada na escola da aldeia e distribuída gratuitamente entre as famílias da reserva indígena, tem patrocínio da Petrobras e contou com o apoio do Ministério da Cultura e do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Mais informações: www.museu-goeldi.br

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.