VOLTAR

Limpando a fronteira

Istoé (São Paulo - SP)
25 de dez de 1985

60 garimpeiros envolvidos na abertura de uma nova lavra de ouro na Grota da Cabeça, em Roraima, foram surpreendidos por dois helicópteros da FAB que traziam 15 agentes da PF fortemente armados e com um recado: aquela área pertence à Terra Indígena Yanomami e os invasores tinham 72 horas para sair. O governador do estado não tinha conhecimento da operação, e se sentiu traído. Por trás disso, estava a "Operação Calha Norte", com intuito de dar segurança à fronteira nacional e livrá-la das tensões e instabilidades geradas, além dos garimpeiros, por incursões dos guerrilheiros do M-19 (movimento colombiano) e do Sendero Luminoso (movimento peruano), que estariam se refugiando em território brasileiro após ações em seus países, e que teriam ligações com o tráfico de drogas na região.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.