VOLTAR

Levada ao Papa situação do índio

O Estado de S.Paulo (São Paulo - SP)
06 de set de 1970

Em um relatório dirigido ao general Bandeira, presidente da Funai, o vigário-geral da região Xinguana, Antonio Lukesh, apresentou o desenvolvimento de seu trabalho como missionário junto ao povo Kayapó e a outros indígenas nas áreas mais afetadas do Xingu. Além disso, Lukesh desmentiu as denúncias de genocídio e de violência contra os povos indígenas no Brasil, sustentando que como testemunha ocular, podia afirmar que em sua área de atuação não foi cometida nenhuma violência. Afirmou ainda que na história do país, marcada por violência, o papel dos missionários é de pacificadores.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.