VOLTAR

Justiça manda soltar o grupo implicado na matança dos índios

A Crítica (AM-Manaus)
18 de mai de 1988

O Tribunal Federal de Recursos, através do pedido de 'habeas corpus', acolheu a preliminar para o julgamento e para o decreto de prisão preventiva dos posseiros acusados de serem os autores da chacina contra os índios Ticuna. Os advogados de defesa justificaram o 'habeas corpus' alegando que a prisão fora violenta e arbitrária, uma vez que os réus só teriam agido em legítima defesa. Desta forma, os posseiros ganham o direito de responder em liberdade e o caso é transferido para a Comarca de Benjamin Constant.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.