VOLTAR

Julgamento agrada Funai, mas ainda há quem punir

O Estado de São Paulo
03 de jun de 1975

A condenação de Ramiro Costa foi recebida pelo presidente da Funai, general Ismarth Oliveira, como uma contribuição à melhoria da imagem da política indigenista brasileira no exterior, embora os outros implicados ainda devam ser julgados pela Justiça.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.