VOLTAR

João Alves retarda a demarcação de terras

Correio do Brasil (Rio de Janeiro - RJ)
21 de ago de 1989

Atendendo a pressões da usina Miriri, propriedade do grupo Lundgren, o mesmo das Casas Pernambucanas, o mi­nistro do Interior, João Alves, está retardando a dem arcação da terra indígena da Aldeia Jacaré de São Domingo, locali­zada no município paraibano de rio Tinto e habitada por índios Potiguara.
Apreciado no dia 14 de feve­reiro último pelo Grupo de Tra­balho Interministerial (GTI), o processo de demarcação do território potiguara foi enviado ao ministro do Interior para que desse prosseguimento as medidas administrativas que fi­nalizem a demarcação. Mas após ter recebido da usina Mi­riri dossiê requerendo o pre­tenso direito de dominio da
área que ocupa nas terra Poti­guara, João Alves devolveu o processo à Funai determinan­do a realização de investiga­ções.
As quatro lideranças Poti­guara que estão em Brasília para acompanhar o caso estão exigindo que a Funai devolva o Processo ao ministro do Inte­rior. Eles afirmam que a usina de álcool nao tem nenhum di­reito sobre as terras que tradi­cionalmente ocupam.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.