VOLTAR

Investimentos em energia vão superar R$ 1 trilhão, prevê EPE

OESP, Economia, p. B4
07 de jun de 2011

Investimentos em energia vão superar R$ 1 trilhão, prevê EPE
Valor refere-se a 2011 a 2020, e segundo a Empresa de Pesquisa Energética quase a metade virá da Petrobrás

Kelly Lima / Rio

Os investimentos em energia devem bater a marca de R$ 1 trilhão entre 2011 e 2020, segundo projeções da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), incluídas no Plano Decenal de Energia. Segundo o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, quase a metade deste total virá da Petrobrás. A estatal está concluindo seu Plano de Investimentos para o período 2011-2015 e ainda não divulgou suas próprias metas.
Segundo Tolmasquim, dos investimentos totais - da estatal e empresas privadas -, a maior parte, R$ 686 bilhões, serão destinados ao segmento de petróleo e gás natural; geração e transmissão de energia receberão R$ 236 bilhões, e R$ 97 bilhões deverão ser destinados à oferta de biocombustíveis.
A produção de etanol deverá ganhar destaque na década, segundo o estudo da EPE. Tolmasquim classifica como "extraordinário" o aumento da produção de etanol prevista para os próximos anos, que deverá ser puxado principalmente pela Petrobrás.
Segundo a EPE, a demanda de etanol deverá chegar a 73 bilhões de litros ao ano em 2020, um crescimento de 46% sobre a atual. O consumo deve ser estimulado pelo crescimento da frota de veículos, que deverá passar de 29,7 milhões para 50,3 milhões entre 2011 e 2020. Para atender a esse crescimento do consumo, a estimativa é de que a safra de cana passe dos atuais 625 milhões de toneladas para 1,126 bilhão de toneladas.
Elétrica. Para suprir a demanda nacional de eletricidade, segundo Tolmasquim, serão necessários novos empreendimentos ainda não licitados, que somem 19,383 mil megawatts (MW).
Entre estes novos empreendimentos estão sendo consideradas as hidrelétricas da Bacia do Tapajós e outras pequenas espalhadas entre as Regiões Nordeste e Norte, principalmente, e algumas no Sul e Sudeste.
Pré-sal. Segundo Tolmasquim, o pré-sal representou uma mudança significativa no planejamento energético. A expectativa da EPE é de uma sobra de gás de pelo menos 24 milhões de metros cúbicos diários em 2020.

OESP, 07/06/2011, Economia, p. B4

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110607/not_imp728868,0.php

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.