VOLTAR

Índios terena vão a Brasília para agilizar retomada de terras

Midiamaxnews
14 de set de 2006

Uma comissão formada por 10 indígenas, representando lideranças terena da Aldeia Cachoeirinha, localizada no município de Miranda, estão indo hoje para Brasília pedir maior agilidade no processo de retomada de uma terra considerada Terena, por um relatório antropológico da Funai (Fundação Nacional do Índio).

O produtor rural Roberto Oliveira Dittmar, proprietário de uma das fazendas que abrange os 36.288 equitares de terra indígena, recorreu da decisão da Funai e impetrou um mandado de segurança impedindo a desapropriação da Fazenda "Santa Vitória". No recurso o produtor rural questiona a validade do relatório apresentado pelo presidente da Funai, Mércio Pereira Gomes, que atestou antropologicamente a propriedade da terra indígena. No entanto, a decisão final da justiça ainda não foi divulgada, desde a entrada do recurso em dezembro do ano passado.

O grupo de indígenas tem uma audiência marcada para sexta-feira, em Brasília, com o desembargador e relator do processo, Daniel Paes Ribeiro, do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1o região, na qual a comissão pedirá maior agilidade no processo de retomada da terra Terena. "Estamos cansados de esperar e percebemos que
precisamos nos deslocar até Brasília pra exigir nossos direitos", afirmou o cacique da aldeia, Ramon Vieira de Souza.

Atualmente cerca de 250 famílias da Aldeia Cachoeirinha vivem em situação irregular em uma das fazendas que compreendem a área demarcada. Caso seja aprovada a retomada da propriedade pelos indígenas, cerca de 5,5 mil famílias terenas serão beneficiadas e alojadas nos cerca de 36.288 equitares.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.