VOLTAR

Índios só aceitam negociação com Santilli na aldeia

O Liberal
18 de jan de 1996

Os índios Tembé da reserva do Alto Rio Guamá, que se revoltaram por conta da aparente insoubilidade do problema das invasões às suas terras, e fizeram reféns quatro funcionários da Funai que haviam ido à reserva realizar um levantamento dos invasores. Ontem, os índios fizeram mais um refém, o administrador da Funai em São Luís, José Arão Marizes Lopes. Eles exigem a presença do presidente da Fundação, Márcio Santilli, que deverá chegar hoje a Belém. Ele tenta, via rádio, convencer os índios a se reunirem com ele na capital, mas os índios se recusam e exigem que ela vá até a aldeia. O administrador substituto da Funai em Belém admite que as negociações estão tensas, e o resultado é portanto incerto. Estima-se que 60% da reserva esteja sob ocupação dos invasores, e a paciência dos índios esgotou-se. A notícia traz também informações sobre as primeiras áreas indígenas definidas que terão o decreto de homologação assinado pelo presedente da República, Fernando Henrique Cardoso.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.