VOLTAR

Índios se revoltam e fazem 4 reféns

O Liberal
17 de jan de 1994

A situação na reserva indígena do Alto Rio Guamá, no nordeste do Pará, está muito tensa. Em missão de pacificação, a Funai enviou para lá quatro representantes, os quais, ao chegarem, foram surpreendidos por mais de dois mil índios das etnias Tembé, Guajajara e Ka'apor, que, depois de breve reunião, fizeram deles reféns. Isto se deu porque logo no início da reunião os índios perceberam que os funcionário da Funai não traziam propostas efetivas para resolver o problema da invasão de suas terras. O avião que trasportava os funcionários também foi apreendido. Os índios se dizem cansados de esperar, que há dezessete anos tentam solucionar o problema através da Funai, desde que em 1970 foi construída a estrada de ferro Carajás-Itaqui e as invasões à reserva começaram a se intensificar. Hoje, calcula-se que 1.800 famílias, entre posseiros e madereiros, vivem na reserva. Em resposta à exigência do cacique Jorge Tembé pela presença do presidente da Funai para a liberação dos reféns, o presidente, Márcio Santilli, convidou as lideranças para irem a Brasília, junto dos funcionários, para discutir a questão,

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.