VOLTAR

Índios são flagrados atacando engenheiro da Eletrobrás no Pará

G1
20 de mai de 2008

Funcionário foi dar palestra para comunidade indígena sobre impactos de usina.
Durante encontro, engenheiro foi cercado e atingido por golpes de facão.

Índios armados de facões atacaram um engenheiro da Eletrobrás que participava nesta terça-feira (20) de um encontro sobre a construção de uma nova hidrelétrica no rio Xingu no Pará.

A hidrelétrica de Belo Monte é uma prioridade do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Índigenas e várias organizações se opõem à obra.

Moradores da região, ONGs e índios de 24 etnias participaram do encontro. O engenheiro da Eletrobrás, Paulo Fernando Rezende, foi convidado para apresentar os estudos sobre a usina. Quando terminou de falar, os índios atacaram o engenheiro.

Depois da confusão, o engenheiro foi levado para um hospital com ferimentos no braço.

A agressão lembra um episódio acontecido há quase 20 anos, num encontro sobre a instalação da mesma usina. Uma índia ameaçou com um facão o engenheiro José Antônio Muniz, hoje presidente da Eletrobrás.

No dia 16 de maio, a Justiça Federal determinou que os estudos de impacto ambiental para a construção da usina, que estavam suspensos desde o mês passado, sejam retomados. O Ministério Público avisou que vai recorrer.

Após a agressão, o engenheiro foi ouvido pela Polícia Federal. Ele fez exame de corpo de delito. Ninguém foi preso. O Ministério Público Federal pediu a abertura de inquérito na PF para apurar o caso.

Em nota, a diretoria executiva da Eletrobrás afirma que tomará todas as providências necessárias para que os responsáveis pela agressão sejam punidos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.