VOLTAR

Índios pataxós ocupam sede da Funasa em Porto Seguro

A Tarde
Autor: Maria Eduarda Toralles
27 de fev de 2008

Cerca de 100 índios pataxós de aldeias do extremo sul do Estado ocuparam, nesta quarta-feira, 27, o posto da Fundação Nacional da Saúde Indígena (Funasa), no centro de Porto Seguro (a 705 km de Salvador).

Os índios reivindicam melhorias no atendimento de saúde das 11 aldeias pataxós da região. De acordo com o cacique Ipê da aldeia Velha, em Arraial D`Ajuda, onde vivem 664 índios, há uma carência muito grande em relação a distribuição de remédios e no transporte de doentes. "O médico vai na nossa aldeia a cada oito dias, mas atualmente faz um mês que não vai por falta de transporte", afirmou Ipê, dizendo ainda que há dificuldades também na marcação de exames.
Segundo a cacica Iamanim, da aldeia Juerana, em Porto Seguro, onde vivem 45 famílias, há três meses não há atendimento médico para no posto da aldeia. "Há pouco tempo tivemos uma epidemia de vômitos e eu tive que correr atrás e pedir ajuda a aldeia de Coroa Vermelha", revelou Iamanim.

A situação é a mesma nas 11 aldeias da região, onde vivem hoje cerca de 11 mil índios, garantiu o cacique Renivaldo, da aldeia de Imbiriba, onde moram 58 famílias.

Os manifestantes pretendem permanecer no prédio da Funasa até conseguirem resolver as questões relacionadas a saúde das aldeias. Hoje eles deverão se reunir com um representante da Funasa de Salvador, que está no município.

Os funcionários da Funasa de Porto Seguro preferiram não se manifestar sobre ocupação.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.