VOLTAR

Índios fazem protesto e ocupam sede da Câmara de Itaipava do Grajaú

G1 - https://g1.globo.com
14 de fev de 2020

Indígenas ocupam na tarde dessa sexta-feira (14) e pedem a construção de uma estrada vicinal dentro da Terra Indígena Geraldo Toco Preto, localizada na região.

Índios da etnia Timbiras realizam um protesto e ocupam a sede da Câmara Municipal de Itaipava do Grajaú, cidade a 451 km de São Luís, na tarde dessa sexta-feira (14). De acordo com as lideranças, eles pedem a construção de uma estrada vicinal dentro da Terra Indígena Geraldo Toco Preto, localizada na região.

Os indígenas alegam que por conta dos problemas de infraestrutura nas estradas, o tráfego de veículos é difícil e atrapalha o deslocamento das comunidades para outros municípios próximos, como Grajaú. Eles também reclamam da falta de assistência básica de saúde e cobram melhorias no abastecimento de água.

As lideranças também pedem a presença do secretário de segurança pública, Jefferson Portela e um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai). (veja o vídeo acima).

Por meio de nota, a Coordenação Regional da Funai no Maranhão, informou que tomou conhecimento do problema e que não são de competência do órgão, mas da Secretaria Especial de Saúde Indígenas (Sesai) e do município. A Funai informou que atua como instância fiscalizadoras em ambos os casos.

A Funai disse ainda que por estar em operação nos municípios de Buriticupu e Amarante do Maranhão, por determinação do governo federal e estadual, ainda não foi determinado o envio de funcionários da sede para o local. O órgão disse que acompanha a manifestação e se coloca à disposição para cumprir os deveres dentro das instâncias que são de responsabilidade da instituição.

O G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) que não havia se manifestado até a publicação desta reportagem.

https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2020/02/14/indios-fazem-protes…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.