VOLTAR

Índios e grupo italiano disputam uma fazenda

Folha de São Paulo
Autor: Bruno Blecher
17 de nov de 1992

A venda da fazenda Suiá-Missu, anunciada nos principais jornais do Brasil, pode apresentar complicações envolvendo os governos do Brasil e da Itália, além de indígenas Xavante, posseiros, grileiros, padres, ecologistas e políticos. Expulsos em 1964, os Xavante reclamam 180 mil hectares da fazenda e contam com parecer favorável para voltar à área. Boa parte dessas terras, porém, foi invadida por posseiros, com o apoio de fazendeiros e políticos de são Félix. Apesar do conflito, a Agip Liquigás, empresa italiana proprietária das terras, pretende leiloar 65.960 hectares da fazenda - decisão que surpreendeu antropólogos do Centro de Trabalho Indigenista (CTI).

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.