VOLTAR

Índios e colonos fecham ponte em Rondônia

A Tribuna-Rio Branco-AC
21 de mar de 2003

Grupo de pequenos agricultores e índios interditaram ao meio-dia de ontem a ponte sobre o rio Machado, em Ji-Paraná (400 quilômetros de Porto Velho, em Rondônia). Eles protestam contra a falta de política para o desenvolvimento agrícola do Estado e contra os danos ambientais gerados pelas centrais hidrelétricas supostamente de responsabilidade da família do governador rondoniense Ivo Cassol.

A Polícia Rodoviária Federal tenta controlar a situação, que após doze horas se mostra cada vez mais complicadas. Os manifestantes dizem que não sairão da ponte enquanto suas reivindicações não forem atendidas. Há uma fila de cerca de dez quilômetros de carretas e caminhões, boa parte levando cargas com destino ao Acre. Pode faltar alguns alimentos no comércio de Rio Branco caso o movimento seja demorado. Os manifestantes estão reunidos na Jornada de Lutas do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA).

PREJUÍZO
Os maiores prejudicados são os caminhoneiros. Ontem, segundo noticiosos de Rondônia, mais de cem carretas vindas de Porto Velho onde descarregaram toneladas de soja no Porto Graneleiro, estão estacionados no meio da cidade, impossibilitados de seguir para o município de Sapezal, no Mato Grosso, onde iriam ser carregados de soja novamente. Todo o frete dos cem motoristas já foi prejudicado e cada um deve perder algo em torno de R$ 2.500 a R$3 mil, contabilizando um prejuízo aproximado de R$ 300 mil. A coordenação do MPA, não demonstrou qualquer intenção de restabelecer o trânsito na ponte., até que seja negociada em Brasília a questão do endividamento agrário e refinanciamento agrícola aos pequenos agricultores do País. A ponte foi fechada ao meio-dia.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.