VOLTAR

Índios cobram pedágio em rodovia de MT e fazem operação tapa-buracos

G1 - http://g1.globo.com
14 de jan de 2014

Ação ocorre na MT-235, entre Sapezal e Campo Novo dos Parecis. Indígenas cobram R$ 50 de caminhões, R$ 20 para carros e R$ 10 motos.

Índios da etnia Pareci estão realizando uma operação tapa-buracos na rodovia estadual MT-235, entre os municípios de Sapezal e Campo Novo dos Parecis, distantes 473 km e 397 km de Cuiabá, respectivamente. O trecho em que está sendo colocado a massa asfáltica tem 60 km e passa dentro da reserva indígena Utiariti.

Porém, para que a operação ocorra, os índios cobram pedágios dos motoristas, o que tem gerado muitas reclamações por parte de quem trafega pela estrada. Ao menos 20 indígenas se revezam para o trabalho e cobram o valor de R$ 50 para caminhões, R$ 20 para carros e R$ 10 para motos. Contudo, o investimento para recuperar o trecho é de R$ 100 mil, segundo a associação que administra o pedágio.

A cobrança de pedágio gera questionamentos sobre a legalidade e ainda pelo fato de se tratar de uma rodovia estadual que deveria receber pavimentação por meio do poder público. A Secretaria Estadual de Transporte e Pavimentação Urbana (Setpu) informou que firmou um acordo com a Prefeitura de Sapezal para fazer esse trabalho. O estado fornece o material e o município a mão-de-obra. Porém, o secretário de Obras do município, Arnaldo Silva, declarou que o levantamento da quantidade do material será repassado para o estado formalizar o acordo.

"Existe um cronograma da associação que vai desde a etapa do tapa-buraco, recuperar os pontos sobre as cabeceiras da ponte e, principalmente, dentro já do nosso orçamento uma lama asfáltica que vai recuperar alguns pontos que já se encontram desgastados", explicou Edson Kazumazakauê, índio pareci.

Os índios cobram pedágio na MT-235 desde 1997. A rodovia foi asfaltada há cinco anos e essa é a primeira vez que os índios colocam massa asfáltica para tapar os buracos. A estrada tem 110 quilômetros de extensão e passam cerca de 200 veículos por dia. A região é grande produtora de grãos e o movimento de carretas é intenso.

http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2014/01/indios-cobram-pedagio-e…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.