VOLTAR

Índios brigam na Justiça por terra

Correio do Estado - Campo Grande - MS
01 de jun de 2001

A comunidade indígena da Aldeia Cachoeirinha impetrou na Justiça uma ação contra 17 donos de propriedades rurais da região, requerendo uma área de aproximadamente 22 mil hectares. Esta semana, cerca de 80 produtores rurais de Miranda reuniram-se no Sindicato Rural da cidade para discutir o problema judical.

Situada a 10 quilômetros da região central de Miranda e com uma população estimada em 4 mil índios, a comunidade terena alega que as terras aos arredores da aldeia pertenceram aos seus antepassados, mas com o tempo os fazendeiros invadiram a área, aproveitando a forma pacífica em que os indígenas vivem.

No entanto, os fazendeiros que correm o risco de perder a área estão recorrendo na Justiça contra a ação proposta pelos índios. Contratamos um advogado para cuidar do caso, disse o presidente do Sindicato Rural, José Aparecido Fernandes, que acredita que a valorização da área despertou ainda mais interesse dos índios pela terra. O desenvolvimento turístico valorizou a terra em Miranda. Cada hectare pode custar cerca de R$ 2 mil, informou o presidente do sindicato.

Os detentores das terras temem que sejam obrigados a desocupar a área sem direito a indenizações plenas. De acordo com informações, seriam pagas apenas as benfeitorias e em título de dívida agrária.

Os produtores perderam uma ação na Justiça em 1ª instância. Existe a possibilidade da contratação de geólogos para, através de estudos, constatar realmente se o local é considerado sítio histórico.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.