VOLTAR

Índios bloqueiam rodovia no Mato Grosso do Sul

Jornal do Tocantins-Palmas-TO
03 de mar de 2004

Índios caiovás de quatro aldeias fazem protestos e reivindicam terra no Mato Grosso do Sul. Eles bloquearam ontem a rodovia BR-364, no sudoeste do Estado, provocando oito quilômetros de congestionamento, entre os municípios de Bela Vista a Antônio João, a 450 quilômetros de Campo Grande.

Eles exigem a ampliação da área ocupada pela aldeia Nhanderu-Marangatu, em Antônio João. Anteontem os índios convocaram o chefe de Patrimônio e Meio Ambiente da Fundação Nacional do Índios Cleomar Vaz Machado e o mantiveram refém durante todo o dia.

Em Ponta Porã, na divisa com o Paraguai, outra tribo de caiovás, que vive na aldeia Lima Campo, quer de volta as terras de seus antepassados no município. No início da madrugada de anteontem eles atacaram com pedaços de madeira e flechas uma viatura da Polícia Federal. Cinco pessoas foram presas pela PF, entre elas, um padre da Igreja Católica e um professor, cujos nomes estão sendo mantidos em sigilo, pois são suspeitos de incitar os índios a invadir fazendas, bloquear rodovias, entre outros protestos violentos.

Em Dourados, 220 quilômetros de Campo Grande, os caiovás da aldeia Panambizinho estão prontos para tomar as 38 propriedades rurais no distrito de Panambi. São imóveis titulados durante o Governo Getúlio Vargas, atualmente identificadas como áreas indígenas, que devem ser entregues aos índios no dia 30.

Depois dessa data, os índios que estão praticamente confinados em 60 hectares garantem que vão entrar nas terras.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.