VOLTAR

Índios ameaçam invadir pôsto da FAB em Vilhena

Correio do Povo
06 de fev de 1965

Índios ameaçam invadir pôsto da FAB em Vilhena

RIO, 5 (C. P.) - As autoridades da Aeronáutica estão apreensivas ante a iminência de um ataque dos índios Cintas-Largas ao destacamento da FAB em Vilhena, no Território Federal de Rondônia. Os indígenas instalaram-se numa vila situada a três quilômetros do destacamento, residência do índio Marciano, remanescente das tribos civilizadas pelo marechal Rondon, e que ali se fixou e constituiu família. Como precaução, o comandante do destacamento de Vilhena removeu toda a família de Marciano para o Núcleo Militar, onde se encontra abrigada.
Os índios Cintas-Largas são tidos como perigosos pelos moradores da região. Vivem na região chamada Riozinho, a mais de 60 quilômetros do destacamento de Vilhena. Sua presença foi notada na madrugada de segunda-feira, quando invadiram a vila de casas do índio Marciano, onde está localizada uma antiga agência do DCT, construída ainda pelo marechal Rondon. Temeroso de alguma represália, o índio civilizado comunicou-se com o comandante do destacamento da FAB. Este estabeleceu ligeiro contato com 05 invasores, os quais mostraram-se desejosos de manter aproximação com os civilizados.
O Serviço de Proteção aos Índios, cientificado da aproximação dos Cintas-Largas, no Núcleo de Proteção ao Vôo, de Vilhena, vai deslocar para a região, possivelmente ainda hoje, uma equipe, para tentar uma aproximação dos índios com os civilizados, inclusive oferecendo-lhes quinquilharias.

Correio do Povo, 06/02/1965

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.